Por Gildo Júnior
Em 11/08/2017

EDITORIAL

A serra das cachoeiras, das belezas, das aves (incluindo o galo-da-serra e araras), das bromélias, das orquídeas, das lendas, das histórias, dos causos, do diamante, do garimpo e das pedras-sabão, do platô que ainda guarda peças do avião que ali caiu, da Enseada da Anta e da Laje Verde. Seja bem-vindo a nossa viagem de hoje, seja bem-vindo a Serra do Tepequém! Conheça seu mundo, conheça Roraima ao Extremo. Gildo Junior.

FICA A DICA
Recomendações: protetor solar, óculos escuros, roupas leves e roupa de banho, calçado confortável, chapéu ou boné, repelente e bolsa de hidratação ou cantil.

Procure pelos guias de turismo local, aproveite para se deliciar com a comida caseira da região e descansar em suas pousadas.

SERRA DO TEPEQUÉM – 1ª PARTE

Dando continuidade em nossas viagens, a Serra do Tepequém que significa "Deus do Fogo", segundo uma lenda local que diz que ali é vulcão adormecido. Localizada a aproximadamente 210 km da capital Boa Vista, em um platô de 1.100m de altitude. A Chapada do Tepequém oferece uma rica e importante história para o desenvolvimento do estado de Roraima. Vegetação especial com diversidade de orquídeas e bromélias. Deliciosas cachoeiras, como a do Paiva e do Barata, que completam o cenário deste lugar.

Na cachoeira do Paiva, escolhemos a descida pela escadaria de madeira, mas, antes de descer, você pode ir ao mirante do Paiva e fazer muitas fotos, e logo em seguida começar a descida. O bacana é que se preocuparam com a segurança do turista e colocaram cordas de aço para facilitar o acesso à cachoeira.

Ao chegar à parte de baixo da cachoeira do Paiva, você pode continuar a descer e ir conhecendo o local, vale ressaltar que há pedras escorregadias e áreas com quedas muito altas, então não esqueça de contratar um condutor local ou pedir apoio ao guia de turismo que está acompanhado o seu grupo. Se continuar descendo irá chegar a uma pedra que parece ter sido colocada em cima de outras duas pedras, o que chama bastante a atenção dos turistas.

Como estávamos com equipamentos de segurança e acompanhados pelo condutor local professor Sidney, continuamos descendo ainda mais, passando por dentro de cachoeiras, por precipícios nas encostas por onde descíamos e até mesmo por uma mata que toda via aparentava não ter sido explorada, até chegarmos ao ponto que estávamos buscando, uma coisa nova e na descida do Paiva, uma das cachoeiras mais altas do Tepequém, conhecida como Laje Verde, um local para aventureiros e pessoas que curtem a adrenalina.

Outra cachoeira próxima à Vila do Paiva é a do Cabo Sobral, que faz jus ao nome da vila antiga do Tepequém, local onde na época do garimpo era a vila principal, com policiamento, cinema, cabarés e muito mais, a cachoeira é mais rasa e usada por muitos como escorregadeira, por ter um pouco de inclinação e alguns pequenos poços de água usados pelos turistas para se refrescar, e é uma das que, particularmente, mais curto.

Falando em poções, temos a cachoeira do Barata, que é uma das mais visitadas, por ter vários poções de água, muitas vezes transparente, às vezes esbranquiçadas pela chuva, muitos usam as paredes ao redor dos poções para pular e se divertir, o Tepequém é lindo e em todo percurso, e em cada cachoeira, sempre vemos as placas falando do cuidado com o lixo que o turista leva, e vemos também latões de lixo que estão no caminho das cachoeiras ou levem seu lixo até áreas apropriadas para o despejo na vila.

Tem a cachoeira do Funil que é uma das mais distantes e visivelmente modificada pelos garimpeiros na época da exploração do diamante, esse que era muito cobiçado por sua cor verde-cana, e no percurso para esta cachoeira passamos pelo conhecido xelim do gringo, outra área também modificada por explosões de dinamite, mas bastante interessante, pois os garimpeiros fizeram todo um percurso para passar a água e lavar a terra, sobrando os cascalhos e o desejado diamante.

Uma área muito conservada no Tepequém é a enseada da Anta, refúgio de animais e plantas, um local que pode ser utilizado por ornitólogos para a prática de observação de aves e sem falar que é um local que quem o visita, para, senta nas encostas e pode sentir uma paz interior muito grande, algo que envolve o local.

Existe também o Complexo dos Guimarães, local onde vamos encontrar a cachoeira do Igarapé Preto, com águas avermelhadas e uma região repleta de grutas para serem visitadas, de vários tamanhos e dificuldades para o acesso. Quando for ao Tepequém e quiser visitar as grutas, procure pelo condutor Ronny que com todo cuidado levará o grupo para conhecer o Complexo.

E não poderíamos deixar de falar de uma pequena, mas romântica cachoeira, a do Miudinho, um ponto alto do Tepequém para os casais, pois é uma cachoeira que está conservada, é distante da Vila do Paiva e bem escondida, procure pelo condutor Luiz Galdino para acompanhá-los até essa pequena, mas belíssima cachoeira.

Na próxima semana teremos mais sobre essa Serra tão linda, o nosso Tepequém.

INSTAGRAM RORAIMA

A foto selecionada da semana foi a da fotógrafa @govzla, publicada no Instagram @roraimaaoextremo e obtida por meio da hashtag #roraima. É uma foto belíssima do fim de tarde na Praia Grande, parabéns pelo registro. Quer que sua foto seja a próxima a estar aqui na coluna Roraima ao Extremo? Faça uma com o tema belezas naturais, turismo, esporte ou aventura em nossa região e, ao publicá-la no Instagram, adicione a hashtag #roraima e/ou #portalroraima. Assim, nossa equipe selecionará a melhor foto da semana. Quem sabe não será a sua a próxima a estar aqui!

EU CURTO MUITO ISSO

No dia 13 de agosto, com saída às 9h da manhã, da Maloca da Malacacheta (região do Cantá), será dada a largada na TRILHA PYRAT DIK DIYKYU, com percursos de 60 km de trilha, e o valor da inscrição é apenas R$ 30,00 (trilha e almoço). Haverá também tiro ao alvo, cabo de guerra, corrida com tora, futebol e sorteio de brindes. Mais informações através dos números 95 99145-0730 / 99110-2089 (Grupo de Apoio e Proteção dos Indígenas).


Entre em contato com nossa equipe pelo e-mail roraimaextremo@gmail.com ou visite nossa Fan Page www.facebook.com/roraimaaoextremo, enviando-nos suas sugestões. Um grande abraço e até a semana que vem, com muito mais turismo e aventura aqui no seu Roraima ao Extremo.

Gildo Júnior
Desde: 2000-01-01
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Roraima ao Extremo
+ Ler mais artigos de Roraima ao Extremo