Por José Maria Neto
Em 20/07/2018

ATUALIDADES! COMO ESTUDAR PARA CONCURSOS?

O conteúdo de Atualidades para concurso é muito diferente das demais matérias tradicionais e corriqueiras. A primeira impressão é de que não há um programa de prova tão bem definido, o que dá a muitos candidatos a sensação de que qualquer coisa pode aparecer na prova. Tanto o concurso da PM-RR, quanto da PF irão cobrar os conhecimentos de atualidades dos candidatos. Depois, com um conteúdo tão amplo, naturalmente surge a pergunta: E agora!? Como estudar atualidades para concursos?

Existe um período de recorte considerado pelas bancas organizadoras para temas na prova de atualidades, qual seja, um ano, com vinculações históricas que se estendem por períodos maiores. Por exemplo, pode ser cobrada uma questão sobre os atuais movimentos sociais, e compará-los com as Diretas-Já (1984), como fez a Cespe em 2013, na prova de escrivão da Polícia Federal.

A primeira compreensão que se deve ter é de que nem tudo cai numa prova de Atualidades. Comumente, as provas de atualidades têm certa recorrência de tratar dos principais temas nacionais e internacionais em debate, ou seja, dos temas mais relevantes para o debate público, ocupando importante espaço midiático. Dessa forma, fofocas, vida de personalidades e curiosidades têm pouco valor de prova. Os candidatos devem focar nos assuntos mais bombásticos do noticiário ou é importante variar sobre vários temas, mesmo que estes não estejam em forte evidência no momento.

Uma dica que tenho, é a confecção dos flashcards (fichas) em tópicos, como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável, responsabilidade socioambiental, segurança e ecologia, e relacionar as notícias referentes a cada um desses tópicos. De tempos em tempos, faz-se necessário uma reformulação das anotações.

O novo problema que se abre diz respeito às fontes, e daí a questão se torna mais complexa e requer um grande cuidado. As fontes são apenas a matéria-prima para a interpretação e a compreensão da realidade, e não a realidade em si. Portanto, não se deve tomar a fonte como conteúdo acabado, como é uma legislação, um cálculo, ou uma apostila de Português. Deve-se atentar para o fato de que a fonte tem seu crivo ideológico, interpretativo, buscando imprimir uma visão, uma imagem da realidade, o que pode atrapalhar ao chocar e/ou consolidar suas interpretações pessoais com o possível conteúdo de prova.

Claro que não existe fonte isenta, nem prova isenta como decorrência, mas as provas normalmente apostam em assertivas consolidadas na realidade e não em debates de fundo opinativo e/ou político-ideológico, independentemente de cargo ou órgão ao qual se presta o concurso. Qual a melhor fonte? Sempre respondo que é aquela a que você tem fácil acesso. Entretanto, cabe uma advertência ao uso das redes sociais e da internet, pois é sempre necessário contrapor uma fonte a outras fontes para verificar a veracidade do conteúdo, além de ver outras perspectivas sobre o mesmo tema. As fontes mais eficientes são aquelas usadas pelas provas e concursos, como por exemplo, os principais jornais, revistas, agência de notícias e emissoras de rádio e televisão.

Assim, o estudo de Atualidades deve diferir-se do de outros conteúdos, já que sua natureza é diferenciada. Use outra estratégia, pois não cabe decoreba, “musiquinhas”, colecionar notícias, estudar de véspera, ou qualquer outro estratagema. Para um bom desempenho em uma boa prova de Atualidades, será necessário conhecimento, e isso se adquire somente com leitura, instrumentos teóricos adequados, orientação e foco.

Por Sílvio Fernando

MOTIVAÇÃO

FIQUE LIGADO

►PMRR DEVE ASSEGURAR VAGAS PARA DEFICIENTES
A justiça determinou que a Polícia Militar reabra as inscrições de seu concurso a fim de assegurar a inscrição para pessoas deficientes (5%). Essa polêmica decisão visa assegurar o ingresso de pessoas nos quadros da PMRR uma vez que o edital não trouxe essa previsão. A ação foi proposta pelo Ministério Público Estadual, que instaurou Procedimento Preparatório nº. 012/2018, visando apurar irregularidades no edital de concurso público para o cargo de Soldado PM, em relação à exclusão sumária de pessoas com deficiência do certame, sob alegação de incompatibilidade com o exercício da atividade policial militar. A decisão cabe recurso. Vamos aguardar o desenrolar desta celeuma.

►CONCURSO DA PRF
Ao que tudo indica, a autorização do aguardado novo concurso público da Polícia Rodoviária Federal (PRF), por parte do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), pode ocorrer a qualquer momento. Acontece que o processo teve 35 avanços internos na última semana, sendo nove em 10 de julho, 14 no dia 11, dez no dia 12 e mais três avanços na última sexta, dia 13. Atualmente, a proposta está em análise na Secretaria Executiva do MPDG. A expectativa pela publicação da portaria autorizando o certame é grande, uma vez que a intenção inicial da PRF era liberar o edital de abertura de inscrições até junho, o que acabou não se concretizando em virtude de uma negociação do órgão com o ministério, no sentido de permitir a ampliação à oferta de vagas. Fonte: JC Concursos.

►ALE DIVULGA NOVA DATA DE PROVA DE ASSISTENTE
A Assembleia Legislativa de Roraima cancelou seu concurso de assistente e determinou a realização de novas provas. A nova data agendada para as provas foi o dia 2 de setembro. Parabéns à ALE por manter a lisura do seu concurso! Confira mais detalhes no site da FUNRIO.

MAPA MENTAL
Habeas corpus é o remédio judicial que tem por finalidade evitar ou fazer cessar a violência ou coação à liberdade de locomoção, decorrente de ilegalidade ou abuso de poder. É um dos remédios constitucionais mais cobrados em concursos e tem total pertinência com o concurso da PMRR. Abaixo, segue um mapa mental sobre Habeas Corpusque vai ajudá-lo a memorizar os principais pontos desta importante garantia constitucional prevista no art. 5º da Constituição Federal de 1988.

#TESTE SEUS CONHECIMENTOS
(2018/VUNESP/PC-SP/Agente) De acordo com o Código Penal Brasileiro, considera-se crime hediondo o (a)
a) extorsão cometida por duas ou mais pessoas ou com o emprego de arma.
b) falsificação, a corrupção, a adulteração ou a alteração de produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais.
c) sequestro e o cárcere privado.
d) roubo, quando a violência ou a ameaça é exercida com emprego de arma.
Resposta: Letra B

A lei de crimes hediondos, em relação aos crimes de que trata, admite:
a) Fiança.
b) Liberdade provisória.
c) Graça.
d) Indulto.
e) Anistia.
Resposta: Letra B


José Maria Neto
jornalista@teste.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!