Por Fabiano de Cristo
Em 23/07/2018

Editorial

Um estudo realizado entre o serviço de pesquisas de mercado Opinion Box e a plataforma Content Tools mapeou os hábitos de consumo de conteúdo do brasileiro. Foram entrevistados homens e mulheres entre 16 e mais de 50 anos, de todas as classes sociais e de todos os estados do País. 

Segundo o levantamento, a rede social mais acessada é o Facebook: 97% acessam a rede criada por Mark Zuckerberg pelo menos uma vez por semana. Em seguida, estão o YouTube (62,2%) e o Instagram com (58,5%). As redes menos acessadas são Snapchat (12%), LinkedIN (17%) e Pinterest (19,5%). 

A preferência por determinado formato de conteúdo varia de acordo com o gênero e a idade. Se homens preferem vídeos, mulheres interessam-se mais por fotos. Estas também são favoritas entre os jovens de 16 a 19 anos. No artigo desta semana vamos apresentar os principais pontos desta pesquisa que também podem ser vistos de forma detalhada pelo Site.

HÁBITOS DE USO DAS REDES SOCIAIS

Você certamente já ouviu dizer que nos próximos dois anos vamos produzir o mesmo volume de conteúdo que foi produzido em toda história até então. Por mais difícil que seja medir exatamente o volume de conteúdo produzido, é fácil perceber que este número é bem possível de ser real. Pare para pensar na quantidade de conteúdo digital que já passou diante dos seus olhos hoje – seja nas redes sociais, no seu e-mail ou no WhatsApp. São links, fotos, vídeos, textos, memes, emojis e gifs dos mais variados temas e assuntos.

De acordo com a pesquisa apenas dois em cada dez internautas declarou assistir a todos ou quase todos os vídeos até o fim. Os vídeos de reprodução automática no Facebook também não conquistam muitos fãs: somente três em cada dez aprovam o recurso. Da mesma forma, os vídeos compartilhados no Whatsapp não tem grande adesão, sedo que dois em cada dez entrevistados têm costume de assistir a todos aqueles que são recebidos.

Por outro lado, o vídeo ganha preferência em relação ao texto quando o assunto é aprender algo. Nesse caso, é o favorito de 48,3% dos entrevistados. Sua impopularidade entre os participantes da pesquisa é surpreendente, uma vez que o Brasil é o segundo no mercado de visualizações de vídeos no YouTube, segundo o Google.

Na rivalidade entre o Snapchat e o Stories do Instagram, duas ferramentas que oferecem a possiblidade de publicar vídeos efêmeros que ficam no ar por 24h, o Instagram sai ganhando: é acompanhado por 53% dos internautas. Em comparação, o Snapchat é uma das redes menos acessadas pelos brasileiros, 12% do público. Os vídeos efêmeros do Facebook e do WhatsApp, que também possuem Stories, são acompanhados por 60% dos entrevistados. 

A pesquisa evidencia que o uso do stories no mercado brasileiro é crescente, e a ferramenta pode não ser conhecida pelos usuários que a marca deseja alcançar, pois 22,7% dos entrevistados declararam não saber do que se trata. É importante que você entenda quem é o seu público-alvo e se ele tem o hábito de utilizar o Instagram.

Quanto às marcas, o estudo faz um alerta: a publicação do conteúdo ofensivo pode gerar repercussões negativas para seu empreendimento. A maioria dos entrevistados (68,5%) já deixou de seguir uma marca ou um perfil por conta de conteúdo agressivo, machista, homofônico ou racista. 

Trabalhar com produção de conteúdo se torna um desafio cada vez maior. Como se destacar em meio a essa abundância de conteúdos? A resposta é apenas uma: é preciso produzir conteúdo de qualidade.

Da mesma forma, é preciso ter em mente que os internautas estão cada vez mais críticos em relação ao conteúdo que querem receber. Isso fica claro quando observamos as estatísticas sobre os usuários que deixam de seguir marcas ou pessoas por causa de conteúdos ofensivos ou a preocupação com a veracidade dos conteúdos.

Um dado muito positivo da pesquisa é relacionado ao inbound marketing. Considerando que a pesquisa foi feita com o público geral de internautas, e não com pessoas do meio de marketing ou de um nicho específico, é bem alto o percentual de pessoas que já baixaram conteúdo em troca de informações.

São números positivos e que devem ser levados em conta na hora de se preparar a estratégia de marketing digital da sua empresa. Pense nisso e até a próxima semana.

Fabiano de Cristo
Consultor Empresarial
atuallisconsultoriarr@gmail.com



RESENHANDO

É importante você conhecer muito bem seus consumidores atuais e potenciais, para saber quais assuntos podem ou devem ser discutidos em suas redes sociais sem gerar uma percepção de que suas publicações estão sendo ofensivas. É até possível você mesmo fazer suas publicações, vídeos e fotos, basta que você tenha um celular na mão. Porém, na hora que decidir qual estratégia de comunicação adotar na internet, busque uma empresa com experiência e qualificação para lhe auxiliar nesse ambiente. 

Fabiano de Cristo
jornalista@teste.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!