Por Jessé Souza
Em 28/06/2017

TV Cordeirinha e mais de Friboi

Corrupção passiva. Esse é o crime que o presidente Michel Temer (PMDB) está sendo acusado pela Procuradoria-Geral da República, consequência da “deleção Friboi”, em que empresário Joesley Batista, sócio da JBS, gravou um diálogo com ele no qual aparece uma série de crimes. E a Polícia Federal comprovou que o áudio é verossímil e não houve edição.

O curioso é que a TV Globo mandava fazer plantão em todos os seus telejornais quando a então presidente Dilma Rousseff (PT) era acusada de “pedaladas fiscais”. À época, terminava o dia em tom de drama e cara feia de William Waack com seus comentários sarcásticos em tom de fim de mundo.

Hoje, temos um presidente acusado e acuado por crimes, mas a Globo ficou cordeirinha, não há incitação ao povo para que ele vá às ruas e o tom das reportagens é do tipo “nada que não já sabíamos”, como se agora fosse menos grave um caso de corrupção passiva e um impeachment não coubesse mais no país da Lava Jato.

Aliás, esse é o tom das entrevistas e discursos do ministro Gilmar Mendes, membro do Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta Corte judicial brasileira, e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que vem agindo como se fosse advogado de Temer e um crítico mordaz à atuação do Ministério Público Federal (MPF), como se as investigações não pudessem mais avançar como se isso fosse a “extinção dos políticos”.

Se o povo não se mobilizar de novo, será muito difícil a Câmara Federal autorizar que Temer seja processado, pois as torneiras dos cofres públicos foram abertas para que os deputados da base aliada se mantenham e para que os nem tão aliados assim votem contra o processamento.

Isso significa que Temer foi pego com a “mão na botija”, ao enganar o povo para chegar à presidência e ao agir em favor de seus interesses escusos, e agora irá cooptar os deputados oferecendo vantagens por meio de liberação de recursos públicos para suas bases eleitorais. É o chamado toma-lá-dá-cá no mais descarado nível da sem-vergonhice da política brasileira.

E as denúncias não vão parar por aí. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deverá nos próximos dias denunciar Temer por obstrução à Justiça, quando concordou com o pagamento de propina para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, conforme apontam a “gravação Friboi”.

Então, o povo vai aceitar tudo isso calado? Ou vai agir de acordo com a Globo, como se todos esses crimes fossem menos graves do que as “pedaladas fiscais” de Dilma? Ou Gilmar Mendes tem razão e agora o país não pode mais colocar para fora nenhum outro presidente porque “o MPF quer mandar no país”?

*Jornalista
jesseroraima@hotmail.com
Acesse: www.roraimadefato.com/main

Jessé Souza
jesse@folhabv.com.br
Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!