Por Shirley Rodrigues
Em 10/02/2018

Com Nada 
* Inacreditável como criaturas ditas esclarecidas continuam insuflando a população contra os imigrantes, especialmente nas redes sociais. Algumas têm a cara de pau de dizer que não estão cometendo crime de xenofobia não, estão apenas alertando. Outras assumem publicamente que estão felizes com os ataques, chegando a declarar que “só assim pra eles voltarem pro seu país” e que não tem pena das crianças não, porque brasileiros já foram maltratados na Venezuela. Pode, Freud!?!

Com Tudo 
* Bacana mesmo é a iniciativa dos alunos do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Roraima, na disciplina de Radiojornalismo II, ministrada em parceria com o Ministério Público do Trabalho. Eles produziram spots para emissoras de Rádio, que fazem parte da Campanha “Somos todos Migrantes”, com falas de pessoas que vivem em Roraima e vieram de outros países, entre os quais Venezuela e de outros Estados do Brasil, como Rio Grande do Sul, Maranhão, entre outros...

O empresário Eder Behnck e sua Mary (O Boticário) continuam recebendo homenagens por conta da recente troca de data dele. Na foto, o casal divide clic com os filhos Gabriel e Matheus

Crime
* Enquanto os xenófobos que se dedicam a disseminar o ódio contra os imigrantes nas redes sociais, insuflando claramente a população a atacar os venezuelanos, não forem punidos exemplarmente, infelizmente, a tendência é que esses vergonhosos episódios continuem a ocorrer.
* A Polícia já sabe quem foi o criminoso incendiário, que tem se dedicado a atirar coquetéis molotov pela cidade, o que significa que sua prisão é questão de tempo.

Crime II
* A propósito, o crime de xenofobia, previsto no artigo 20 da Lei nº 7716/89, prevê pena de reclusão, que pode variar de 1 a 3 anos e multa.
* Se for cometido através de meios de comunicação (como a Internet, por exemplo), a pena pode ser agravada de 2 a 5 anos e multa, conforme o parágrafo 2º da mesma Lei. Então, autoridades, tá passando da hora de dar uma lição nas criaturas que praticam esse tipo de crime.

Maria Soledad – na foto com Leona Khalielly – é presença confirmada no Carnaval de Caracaraí

Cuidado
* A Câmara Municipal de Boa Vista vai promover uma audiência pública para discutir a fiscalização eletrônica no trânsito, nos próximos dias, e o vereador Pastor Manoel Neves (PRB) adiantou que pretende tratar da questão de assaltos em semáforos que vem assustando a população durante as madrugadas.
* Ele sugeriu exemplos de algumas capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, que a partir da meia-noite, deixam os semáforos piscando, uma forma de não prejudicar a população nem as leis de trânsito.

Cuidado II
* Ainda de acordo com o vereador Pastor Manoel Neves, sobre a questão da fiscalização eletrônica, "muitas pessoas preferem pegar multa do que ser assaltado”.
* Segundo o parlamentar, “é melhor o diálogo entre o Executivo, o Legislativo e a população para se chegar a um denominador comum e resolver o mais rápido possível a situação".

Gil Azevedo e Talita Nascimento, em clic exclusivo para a coluna

#Rápidas
* Inaugurando idade nova neste sábado Cristina Leite, Gustavo Brunido e Guilherme Cruz.
* Amanhã quem troca de data é Beto Bellini, Shirleide Vasconcelos e Etiene Travassos.
*Para quem ganhou ingressos promocionais do show Simone e Simaria, na promoção "Comprou, Ganhou", realizada pelo Pátio Roraima Shopping, tem até domingo, 11, para efetivar a troca para o show do Garota VIP.
* O espetáculo musical com Wesley Safadão, Simone e Simaria e Dorgival Dantas vai acontecer no dia 3 de março no estacionamento do Pátio.
* A troca está acontecendo na Central de Ingressos do shopping, das 14h às 22h, localizada próximo à Smart Fit.

Perfil

Bebeco Pujucan: “Nossa proposta é brincar um Carnaval que valoriza a liberdade, a criatividade e a diversidade”

* Filho caçula do saudoso e brilhante advogado Pujucan Souto Maior e de Araceli Souto Maior (Justiça Federal), e como seus dois irmãos (Ana Paula e conselheiro Netão Souto Maior), ele também se formou em Direito, mas foi pela arte que se encantou. Estamos falando de Bebeco Pujucan, que é formado em Direito e em Produção e Gravação Fonográfica. Proprietário do Estúdio Parixara, que atua com produções de CDs e composição de jingles, é também produtor e músico na Banda Jamrock. Sempre envolvido com arte, foi membro e presidente do Conselho Estadual de Cultura e é um dos fundadores do Bloco do Mujica, que surgiu em 2014, com a proposta de levar as pessoas para a Avenida para brincar o Carnaval e se divertir durante a folia. O Bloco do Mujica não tem abadá, acolhe todos que quiserem se unir ao grupo e incentiva o uso de fantasias. Ano passado, o Bloco saiu com mais de 2.300 pessoas e esse ano a expectativa é que ultrapasse 4 mil.

* Sua família lhe influenciou de alguma forma a estudar Direito?
Indiretamente sim, pois o Direito era um assunto muito presente em nossa casa, mas nunca ninguém pediu ou mesmo sugeriu que eu fizesse o curso. Creio que fiz porque não tinha encontrado minha área ainda e Direito tava ali pertinho, acabei seguindo o fluxo familiar (risos).

* Por que você decidiu estudar Produção e Gravação Fonográfica e atuar nessa área?
Música sempre foi uma paixão, sempre gostei de ler a ficha técnica dos discos, tinha muitos discos, mas nunca tinha entrado num estúdio, desconhecia esse lado. Quando soube que existia esse curso, decidi cursar e achei meu lugar nesse mundo. Foi a oportunidade de juntar o que gosto de fazer, com uma profissão, um meio de ganhar a vida

* Como se deu sua entrada na Banda Jamrock?
Jamrock é um projeto de longo prazo, eu já trabalhava na banda antes de estar no palco como músico, tinha produzido dois discos da banda e trabalhávamos para montar um novo show para a turnê do Projeto Sesc Amazônia das Artes. Surgiu a ideia de acrescentar efeitos sonoros e gravações à performance da banda e até hoje estamos juntos.

* Sobre o surgimento do Bloco do Mujica?
O Bloco do Mujica é uma construção coletiva que surgiu a partir de um grupo de amigos que compartilhava o desejo de brincar o Carnaval em Boa Vista de uma maneira diferente do que estava acontecendo. A ideia foi tomando forma em encontros informais e foi juntando mais gente! Estavam presentes George Farias, Irone, Jaime Brasil, Ed Andrade, Leka Denz, Hyago Moura, Jeanne Xaud, Barbara Peres, Dibob, Luiz Neto e outros.

* O Bloco do Mujica refere-se ao presidente Pepe Mujica ou à comida típica regional?
O nome do bloco refere-se ao ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, que representa bem os valores e ideais desse grupo de amigos que fundou o Bloco. Mas na letra do hino de 2014 também fazemos referência ao prato da nossa culinária. Brincar com os sons e significados das palavras é uma das nossas características.

* Qual é a proposta do Bloco do Mujica?
Nossa proposta é brincar um Carnaval que valoriza a liberdade, a criatividade e a diversidade. Estimulamos a confecção de fantasias, não temos abadás ou cordas, o desfile na avenida é totalmente gratuito para que todos brinquem sem distinção. O protagonista da nossa festa é o folião.

* Como será a programação do Bloco nesse Carnaval?
Sairemos na segunda de Carnaval, dia 12 de fevereiro às 18 horas, na avenida Ville Roy, São Vicente próximo à igreja Nossa Senhora da Consolata. Realizamos oito ensaios e um Grito de Carnaval no espaço Paricarana, em frente ao Pátio Roraima Shopping.

* Quem optar por brincar o Carnaval no Bloco do Mujica pode esperar o quê?
Muita animação, nossa bateria é vibrante e muito animada, nosso repertório é formado por alguns clássicos da MPB e muitos sucessos da música Roraimense. Rola Caxiri na Cuia, Cruviana, Solana, Makunaimando, Praia, Se é bom deixa rolar, Poraquê, ECT. Nos vocais tem George Farias, Neuber Uchôa, Jamrock.

* Como você vê a cultura carnavalesca em Roraima?
Creio que não temos uma cultura carnavalesca consolidada, são ciclos, já tivemos o Carnaval de blocos no Centro da cidade, nas décadas de 50 e 60 (me ajuda aí) Av. Jaime Brasil, no tempo do Bloco do Pó. Na década de 80 e 90, era no Iate Clube que tinha os grandes bailes, tivemos as Escolas de Samba também, as batalhas de confetes e agora os blocos de novo… Somos um povo misturado que brinca conforme o momento, um caldeirão que ferve no Carnaval.

* Que mensagem você deixa à população nesse período de folia?
Chegou a hora de brincar e curtir o Carnaval com toda alegria, mas com todo cuidado também. Preferencialmente usar táxi ou uber para o transporte, isso ajuda muito o trânsito e a segurança. Respeitar sempre, toda e qualquer pessoa, nossa cidade também merece respeito, vamos mantê-la limpa. Como dizia o Marcelo D2, mas mantenha o respeito.

Shirley Rodrigues
shirleyfolha@hotmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Social
+ Ler mais artigos de Social