Por Moara Albuquerque
Em 10/07/2017

Cobogós: Um toque arquitetônico de brasilidade para seus espaços.

Assim como a moda resgata memórias do passado para lançar tendências, nós arquitetos também nos valemos de ícones antigos para atualizar nossos projetos e deixá-los com um toque de brasilidade. Confira na Decore+BV de hoje a volta desses belos elementos vazados, em releituras bem contemporâneas.

Quem não conhece a origem do cobogó, poderia facilmente pensar que este nome possuiria alguma origem indígena ou talvez, sabendo que o cobogó surgiu no Nordeste, mais precisamente em Recife, poderia ainda imaginar que a palavra tivesse origem na cultura africana. Mas esses charmosos blocos vazados, foram inspirados em elementos da arquitetura árabe, os Muxarabis. Assim foram batizados pelos seus criadores, a partir das iniciais de seus sobrenomes, os Engenheiros: Amadeu Coimbra, Ernest Boeckmann e Antônio de Góes, (CO-BO-GÓ). Elaborados com a função de dar privacidade ao interior das casas, sem comprometer a luminosidade nem a visão do mundo exterior.


Cobogó especial projetado pelo escritório Brasil Arquitetura. O projeto foi inspirado na trama da palhinha.

Apesar de terem sido criados na década de 20, esses elementos vazados somente tornaram-se populares a partir dos anos 50, com ascensão do movimento modernista.

Inicialmente as peças começaram a ser produzidas em concreto e em seguida em cerâmica. Hoje os cobogós são encontrados nos mais diversos materiais, modelos, cores, tamanhos, e têm reconquistado o seu espaço na arquitetura, compondo diferentes tipos de espaços.


Uma das grandes vantagens desse elemento é a versatilidade na aplicação, uma vez que ele pode vedar uma fachada inteira ou um pequeno vão na parede, sendo sua instalação relativamente simples.

A Expor Revestir 2017, feira que lança as tendências e tecnologias em revestimentos no Brasil, realizada em Março, trouxe vários destaques que compõem super bem, tanto em fachadas como em painéis de decoração de interiores. Separei aqui os quatro modelos que mais chamaram a atenção na feira, confira:

1.    Cobogó Georgette

Com uma pegada rústica e inovadora os cobogós georgette da Manufatti, são produzidos artesanalmente em argila e estão disponíveis em três cores.

Natural             │              Off White          │                  Carbono

Apesar do design relativamente simples do cobogó georgette, o efeito estético final do painel formado pela sobreposição das peças é quase uma ilusão de ótica.

2.    Cobogó Leno

O cobogó cimentício Leno, da Solarium, possui um conceito marcante em seu design, que foi inspirado no trabalho do artista Athos Bulcão (1918-2008), uma homenagem assinada pelo designer Zanini de Zanine.
 

Esse revestimento permite a criação de diversas paginações de acordo com as necessidades de cada projeto.

3.    Cobogó Coliseu

A Nina Martinelli Revestimentos lançou esse ano cobogós em concreto arquitetônico que seguem a tendência industrial, inspirado nos arcos do Coliseu, o cobogó é imponente e acrescenta um toque vintage ao ambiente.

4.    cobogó Itacoa

O cobogó Itacoa pode ser utilizado tanto em ambientes externos quanto internos. Pode servir também de base para jardins verticais ou, simplesmente como parte da vedação externa de casas com pé direito baixo. Em ambientes internos, pode ser utilizado para fazer biombos em halls de entrada, com ou sem vegetação e ainda integrar, sem abrir completamente, ambientes como salas de estar e sala de jantar.
 
E pra fechar, trago um exemplo de projeto inspirador que ousou na aplicação do Cobogó como elemento estético principal da fachada.

Denominado de Casa Cobogó, e projetada pelo Arquiteto Marcio Kogan. A casa que fica localizada em São Paulo é um exemplo de como os elementos vazados trazem leveza e personalidade aos ambientes.
 

Reprodução: StudioMK27

O projeto resgata a delicadeza dos antigos cobogós, tal como, transfere à casa toda a brasilidade dos nossos elementos vazados.

 Gostaram das dicas? 
Mande seus comentários e suas dúvidas para o e-mail contato@opendoor.arq.br, com o título DECORE+BV. A sua dúvida ou sugestão pode ser o tema do próximo artigo da nossa coluna!Abraços e até a próxima semana!

Moara Albuquerque
contato@opendoor.arq.br
Moara Albuquerque é arquiteta da OpenDoor Arquitetura, uma empresa voltada para a criação de projetos comerciais e clínicos.
Vania Souza disse: Em 11/07/2017 às 08:01:48

"É onde encontrar cobogó em Boa Vista que não seja de cimento pois são muito grosseiros ."

Últimas de
Decore+BV
+ Ler mais artigos de Decore+BV