Por Denise Rohnelt Araujo
Em 09/06/2018

 ENTRADA 

Na próxima semana estarei trazendo as novidades diretamente da Fispal Food Service, a maior feira de produtos, equipamentos e serviços na área de alimentação no Brasil. A Fispal ainda se divide em áreas para café, sorvete, pizza e panificação, móveis, e muito mais.

Durante a feira vai acontecer o Fórum Gestão à Mesa, junto com o congresso da Associação de Bares e Restaurantes – ABRASEL. Tudo isso durante os dias 12 a 15 de junho nos pavilhões do Expo Center Norte em São Paulo. Mais informações, acesse o site: www.fispalfoodservice.com.br

Acompanhem pelas redes sociais a minha viagem à São Paulo e as novidades da Fispal.

E sobre a coluna Letras Saborosas estar na TV Folha, já conseguiram ver os programas pelo Facebook do Jornal Folha de Boa Vista?

Já temos dois programas no ar. E se você conhecer alguém que cozinhe muito bem ou se quer sugerir para ensinarmos uma receita, mande mensagem para letrassaborosas@hotmail.com

A receita de hoje veio diretamente do Festival Ver o Peso da Cozinha Paraense, feita pela chef Daniela Martins, do tradicional restaurante Lá em Casa, na Estação das Docas, um Risotto de castanha do Pará.

Pode ser um belo prato para o jantar do dia dos namorados, e pode ser acompanhado com camarões empanados na castanha ou um filé de peixe grelhado, #ficaadica.
Até o próximo sábado!

 PRATO DO DIA 

Risotto de Castanha do Pará
Chef Daniela Martins

 INGREDIENTES: 

300g de cebola cortada finamente
1,2 litros de caldo de legumes (feito com cebola, salsão (aipo) e cenoura)
01 litro de leite de castanha do Pará
300 ml de vinho branco seco
01 kg de arroz arbóreo
75g de manteiga
200g de castanha do Pará seca ralada
Sal e pimenta a gosto

 MODO DE PREPARO: 

Picar bem fininha a cebola, ralar as castanhas no ralo grosso.
Em uma panela, fritar a cebola com manteiga, juntar o arroz arbóreo e continuar fritando.
Acrescentar o vinho, deixar evaporar e ir colocando alternadamente o caldo de legumes e o leite de castanha até dar o ponto de risotto.
Acrescentar sal e pimenta a gosto e finalizar com as castanhas do Pará secas raladas. O risotto pode ser servido sozinho ou acompanhando camarões ou peixe.

15° Festival Ver o Peso da Cozinha Paraense traz os sabores do Pará de norte a sul

Foi um festival gastronômico lindo, diferente, por estar com toda sua programação no Shopping Boulevard, feito com muita competência e criatividade.

A família Martins manteve o evento mesmo com as adversidades que nosso país estava vivendo na semana do festival, com greve dos caminhoneiros, falta de combustível, etc.

Estiveram presentes grandes nomes da cozinha internacional e nacional que compartilharam muitos sabores e saberes.

Tive a honra de estar acompanhando o cientista gastronômico Pere Castells, sua esposa e a senhora Georgina Règas, especialista em geléias, compotas e que fundou um Museu da Confitura na cidade de Torrent, próximo a Barcelona.

Também fui responsável pela tradução simultânea da aula dos dois, o que me possibilitou aprender mais sobre como fazer geléia a partir de uma idéia, como eles fizeram. Antes do início da aula, conheceram uma espécie de ingá chamado de Mari Mari e resolveram fazer uma geléia com esse fruto e outra com a flor de jambu.

Como são grandes pesquisadores, quiseram fazer a experiência no momento para que todos pudessem experimentar e acompanharem passo a passo como iriam fazer. Além da aula sobre geléias, Pere Castells falou sobre seu livro A Cozinha do Futuro, e como a Amazônia deve se unir e desenvolver produtos a partir da diversidade encontrada, mas com atenção à sustentabilidade.

Houve aulas com o chef caiçara Eudes Assis (SP) que ensinou as técnicas de conservação de pescado; a mineira Tanea Romão; Onildo Rocha (PB); Marcos Livi (RS); com a master Angélica Vitali que mostrou técnicas da cozinha molecular; e Geovane Carneiro e André Madureira (SP) que falaram sobre cozinha e serviço.

Este ano, o festival trouxe as diversas regiões do Pará, com chefs como Saulo Jennings representando o Tapajós; a jovem Maryene Nogueira falou sobre o Xingu; Zezé Gama mostrou os sabores do Marajó; o chef Paulo Osterne trouxe a região de Bragança; e representando a capital estiveram Thiago Castanho do restaurante

Remanso do Bosque e Daniela Martins do restaurante Lá em Casa.

Além das aulas, o público pode provar as delícias dos chefs locais que fizeram pratos em homenagem às regiões paraenses; as Boieiras junto com chefs convidados serviram o melhor da cozinha do Mercado Ver o Peso e finalizaram com a farofada.

O evento foi excelente com muitas atividades para quem esteve no festival, a família Martins está de parabéns pelo décimo quinto festival e por estar lutando diariamente pela valorização da nossa culinária.

E já estamos aguardando o Ver o Peso da Cozinha Paraense em 2019, mostrando que a cozinha amazônica é um grande celeiro de produtos e tradições da culinária brasileira.

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Letras Saborosas
+ Ler mais artigos de Letras Saborosas