Por Denise Rohnelt Araujo
Em 09/12/2017

EDITORIAL

Ainda sobre a Feira Internacional de Gastronomia Amazônica, da qual fui responsável pela curadoria e pelos roteiros que seriam visitados pelos convidados.

Como tivemos a presença de jornalistas de outros estados que nunca estiveram em Manaus, foram selecionados vários restaurantes para conhecer mais de perto a culinária do Amazonas. Foi uma maratona gastronômica, onde todos puderam conhecer a variedade de peixes do Amazonas, do tradicional tambaqui ao pirarucu fresco e salgado; e ainda o jaraqui, o tucunaré, o bodó, o aruanã, o matrinxã, o pacu, entre outros.

Algumas surpresas como o caviar de tambaqui e o torresmo de pirarucu que experimentamos no restaurante Estória de Pescador do chef Milton Rôla, que fica na Rua C 5 casa 2, Adrianópolis.

Mas a gastronomia manauara não é só de peixes, tivemos uma aula de como utilizar Plantas alimentícias não convencionais – Pancs, com o mestre Hiroya Takano, do restaurante Shin Suzuran, que apresentou um menu amazônico com pratos elaborados com o caule da Vitória Régia, tempurá de urtiga, sashimi de tucunaré, entre outros. Em breve irei falar mais sobre ele.

Foram muitos lugares que conhecemos, e como estamos próximos de Manaus pela BR174, irei falar sobre alguns restaurantes a partir de hoje.

A receita vem de um jovem chef que está renovando a cozinha do Amazonas com seu novo restaurante, o Moquém do Banzeiro, o chef Felipe Schaedler nos presenteou com a receita da entrada do novo cardápio, o chibé.

Até o próximo sábado!


RECEITA


Chibé de tucumã
Por chef Felipe Schaedler

 INGREDIENTES: 
50g de farinha do Uarini (ovinha)
20g de cebola roxa em tiras finas
5g de cebolinha
40g de abacaxi em cubos
10g de castanha do Pará torrada
15 ml de azeite de oliva
15g de tucumã em lascas
3g de sal
1 folha de Pobre velho (azedinha)
Brotos de beterraba para finalizar

 MODO DE FAZER: 
Hidrate a farinha do Uarini com 15 ml de água fria. Quando estiver macia, adicione os ingredientes cortados e sirva em uma cumbuca com brotos de beterraba por cima.
A receita dessa entrada está com a quantidade para uma porção.
DICA- a folha Pobre Velho é uma planta medicinal, muito utilizada pelos ribeirinhos da região de Manacapuru no Amazonas, tem sabor azedinho.

Dicas para quem não quer cozinhar na noite de NATAL

Neste Natal teremos algumas opções para quem não quer ir para a cozinha ou que não sabe cozinhar e quer ter uma noite saborosa na companhia da família e dos amigos.

O restaurante português Navalho estará funcionando no dia 24 a partir das 20:30min com um buffet bem festivo com lombo de porco, rosbife, bacalhau natalino, massa com molho branco e camarão, entre outros pratos. O menu de Natal terá entradas servidas na mesa, um buffet variado e sobremesas, além de bebidas não alcoólicas incluídas no valor de R$160,00 por pessoa e o casal paga R$300,00. O jantar será servido às 22 horas e terá música ao vivo. Reservas pelo telefone (95)98119-2827 com Marinne.

O Doce Café e Bistrô já está aceitando encomendas para seu cardápio de fim de ano. Podem ser encomendados pratos como: salada de bacalhau, bacalhoada, camarão gratinado, strogonoff de camarão ou de carne, arroz com champagne e amêndoas, além de sobremesas como as taças: da felicidade, sonho de valsa, cupuaçu com chocolate, e as zero açúcar em vários sabores. Encomendas pelo telefone (95)98123-6737.

Próximo final de semana abertura do Edge Pub

No dia 15 de novembro inaugura o Edge Pub, do casal Alex e Pamela Viana, no prédio que já foi a Cachaçaria Água Doce, na Avenida Ville Roy, 7497, São Vicente.

Além do Pub que abre a partir das 18:30min para o happy hour, o local tem uma boate que vai funcionar às sextas e sábados a partir das 23 horas, com entrada no valor de R$40,00.

O Edge terá cardápio especial com petiscos, refeições e sobremesas diferenciadas, atrações de música ao vivo e uma variada carta de bebidas.

Fica a dica para a próxima sexta irem conhecer o Edge Pub.

Moquém do banzeiro, a nova cozinha do amazonas por Felipe Schaedler

O jovem Felipe Schaedler, de 31 anos, mostra no seu restaurante Moquém, um menu mais sofisticado com pratos da cozinha amazonense, utilizando ingredientes pesquisados por ele.

O restaurante Moquém do Banzeiro, inaugurado há um ano, recebeu o prêmio este ano da revista Veja Comer e Beber, como sendo o melhor restaurante de Cozinha Amazônica. E o chef Felipe Schaedler recebeu o título de chef do ano pela quarta vez consecutiva.

Felipe nasceu na cidade de Maravilha em Santa Catarina, mas veio para o Amazonas com seus pais aos onze anos de idade. Decidiu que seria cozinheiro e buscou se profissionalizar, mas descobriu que precisava ir além, e com amor ao estado que o acolheu, foi embusca de novos ingredientes e ensinamentos da cozinha amazônica.

O seu começo foi com o restaurante Banzeiro, que se destaca na capital amazonense há oito anos e recebeu este ano o prêmio de melhor restaurante da cidade.

Com a visão empreendedora e apoio familiar, abriu o primeiro fast food de cozinha amazônica em um shopping center, o Caboquinho, que serve desde sanduíches típicos como o xis-caboquinho, caldos e pratos feitos com peixe regionais, como o picadinho de tambaqui servido com farofa de banana.

Com o restaurante Moquém do Banzeiro é possível ver o amadurecimento do jovem chef e porque ele vem se destacando no cenário amazônico e nacional.

Pratos como o chibé, que parece simples, foi inspirado na cultura alimentar indígena e traz na sua versão uma entrada com várias texturas e com ingredientes do dia a dia do Amazonense.

O nome do restaurante surgiu depois de uma viagem feita pelo Alto Rio Negro e onde conheceu o preparo do peixe moqueado e como os indígenas faziam o moquém, uma espécie de grelha triangular montada com pedaços de madeira.

A parede do novo restaurante, que imita as escamas do pirarucu, foi feita em cerâmica, o ambiente é clean, na parede próxima ao bar tem um mapa da viagem que fez da região do Alto Rio Negro, lugar onde teve a inspiração para abrir o novo restaurante.

O serviço é à la carte, mas tem três opções de menu degustação com três entradas, três pratos principais e duas sobremesas, para quem quer conhecer mais de perto o trabalho do chef Felipe. 

Além dos pratos, o cardápio possui uma carta de bebidas com coquetéis exclusivos elaborados pelo bartender Jean Ponce que comanda o bar Guarita em São Paulo.

O restaurante Moquém do Banzeiro fica na Galeria Cristal, anexa ao shopping Manauara na Avenida Jornalista Umberto Calderaro Filho, 455 no bairro de Adrianópolis. Funciona todos os dias das 11h30min às 15h30min para almoço e das 18h30min às 23 horas para jantar. Telefone para reservas e informações (92)3342-2042

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!