Por Denise Rohnelt Araujo
Em 12/05/2018

ENTRADA

Continuo esta semana falando das descobertas gastronômicas que fiz na última viagem ao Sul do País.

A receita de hoje é de um prato típico polonês chamado Pieroge ou Pierogi, uma massa em forma de pastel, recheada com batata, com molho de nata e cebola caramelada. Esse prato é conhecido por Verenike, na tradicional culinária judaica e pode receber outros recheios.

Amanhã é Dia das Mães, quero desejar muitas alegrias para todas as super mães que enfrentam jornadas triplas para poder dar uma vida tranquila para seus filhos.

Alguns restaurantes da cidade prepararam almoços especiais para homenageá-las, então a dica é levá-las para almoçar fora, ou preparar um almoço especial para as mães. A receita de hoje é bem simples e muito gostosa, para um almoço leve, #ficaadica.

Neste mês a coluna Letras Saborosas completa sete anos ininterruptos no Jornal Folha de Boa Vista, todos os sábados.

Agradeço aos leitores e ao Jornal Folha de Boa Vista pela confiança, e por poder compartilhar as descobertas, novidades e notícias do mundo da gastronomia.
Até o próximo sábado!

PRATO DO DIA

Pieroge

 INGREDIENTES 

Massa:
500g de farinha de trigo
180 ml de água morna
2 ovos
1 batata grande cozida e amassada
½ colher de chá de sal
Recheio:
120 ml de óleo
4 batatas cozidas amassadas
3 cebolas médias picadas
Sal e pimenta a gosto
Acompanhamento:
150 ml de óleo
5 cebolas médias cortadas em tiras

 MODO DE FAZER 

Massa:
Bata os ovos com a água, junte a batata amassada e o sal, mexendo bem. Coloque a farinha numa superfície lisa e faça um buraco no meio, acrescentar a mistura dos ovos com a batata. Juntar a farinha e começar a amassar a massa com as mãos até ficar homogênea. Reserve.
Recheio:
Refogue a cebola no óleo até dourar, misture a batata, tempere com sal e pimenta, mexa com uma colher e deixe esfriar para rechear.
Montagem:
Polvilhe uma superfície lisa com farinha e abra a massa com um rolo até 4 mm de espessura. Com um cortador de biscoito, faça o corte na massa e reserve.
Pegue um disco de massa, coloque meia colher de sopa de recheio e feche como um pastel, pressionando as bordas com um garfo.
Ferva água numa panela grande, coloque os pieroges aos poucos e cozinhe até subirem, retire com uma escumadeira. Coloque numa travessa os Pieroges, por cima as cebolas douradas e sirva.

ABRASEL RORAIMA E SINDIHOTÉIS REALIZAM O FESTIVAL BRASIL SABOR EM BOA VISTA

Depois de quatro anos sem nenhuma atividade, a Abrasel seccional de Roraima ressurge no cenário gastronômico da capital e traz um dos eventos mais importantes da entidade, o festival Brasil Sabor.

O evento quer celebrar os ingredientes regionais, valorizar as técnicas de preparo da “comida do lugar” e fomentar a originalidade na cozinha, com o tema: Original do Brasil.

O festival vai acontecer de 17 de maio a 3 de junho com 10 empresas participantes em Boa Vista. Quem ganha é o consumidor, que poderá escolher entre inúmeras opções de pratos criados especialmente para o evento, priorizando ingredientes locais.

Em Roraima, a Abrasel por meio da presidente Tereza Mota, faz o lançamento do festival Brasil Sabor, no dia 17 de maio no restaurante do SESC Orla e terá como atração uma cozinha show com o chef paulista Ricardo Frugoli.

O festival Brasil Sabor tem o patrocínio nacional da Ambev, e em Roraima a Abrasel e Sindihotéis contam com o patrocínio do Sistema Fecomércio, SESC, SENAC, SEBRAE Roraima, Folha de Boa Vista, Publicolor e Stone Pagamentos.

CONHECENDO A CULINÁRIA POLONESA NO POLSKA

Eu conhecia um pouco da culinária polonesa e foi uma grata surpresa conhecer o restaurante Polska em Porto Alegre, criado pela família Kowalczyk em 1996.

O local recebeu quinze premiações como o melhor restaurante polonês do Brasil pelo Guia 4 Rodas. Antes de se tornar um restaurante, a família trabalhou por muitos anos com buffet para festas e recepções. A filha, Janine, hoje comanda o restaurante e fez cursos de culinária na Polônia.

O cliente pode optar pelos pratos à la carte ou pela Mesa Polonesa onde são servidos dez pratos típicos da cozinha polonesa. Eles ainda dispõem de um Buffet de sopas, onde a estrela é a conhecida sopa de beterraba chamada de Borscht.

O restaurante funciona de terça a sábado das 19 às 23 horas, e domingos apenas para o almoço do meio dia às 15 horas. O Polska Restauracja fica na Rua João Guimarães 377, em Porto Alegre – RS.

ESPAÇO TIBET, O PRIMEIRO RESTAURANTE TIBETANO NO BRASIL

Uma das surpresas do Food Safari Sul, guiado pelo chef sul-mato-grossense Paulo Machado, foi a parada na cidade de Três Coroas para conhecer o Espaço Tibet.

Em 2011, o casal Ogen e Adriana Shak fundaram o Tashiling, o primeiro restaurante tibetano no Brasi, e em 2013, eles mudaram de endereço e transformaram no Espaço Tibet. O local tem uma aura de muita paz e alegria, em tons vermelhos com muitas imagens de Buda e jardins bem cuidados.

O restaurante recomenda uma sequência de pratos para duas pessoas com entrada, salada e prato principal, mas também serve alguns pratos em meia porção.

Como entrada os momos, que são trouxinhas cozidas no vapor recheadas com carne, batatas e legumes salteadas na manteiga e servidas com molho escolhido. Os momos são parecidos com o guioza chinês.

Como prato principal, o chef Ogen explicou que muitas pessoas acreditam que a cozinha tibetana é totalmente vegetariana, o que ele nos mostrou que não é, pois devido as baixas temperaturas no Tibet, eles precisam comer proteínas animais e gorduras para aguentar o frio.

Então, como opções de prato principal ele tem no cardápio carne de porco, cordeiro, boi e salmão, além do típico Chow Mein que é uma massa tipo udon com legumes que pode ter carne ou não.

As surpresas do cardápio estavam nas sobremesas, uma que me encantou foi o Mousse de Rosas que acompanha licor de Cassis com toque de romã, e a sobremesa do chef Ogen, feita com cogumelos shimeji, chip de batata doce e sorvete de creme decorado com ganache de chocolate.

Mas não foi a comida que mais impressionou e sim a história de vida do casal, que se conheceu em 2009 e nunca mais se separou.

O chef Ogen Shak é um exemplo de força e fé. Com 16 anos, ele e dois irmãos menores foram entregues pelos pais para uma monja tibetana para serem retirados do Tibet, por causa da ocupação da China comunista que se iniciou em 1950.

Eles atravessaram a pé o Himalaia, viram muitos do grupo de trinta pessoas morrerem pelo caminho devido ao frio.

Ao cruzar a fronteira entre o Tibet e o Nepal, foi internado num hospital para lutar e se recuperar de uma gangrena que afetou suas mãos, braços, pés e pernas por causa do frio intenso da viagem. Ele conseguiu se recuperar quase completamente, mas perdeu os dedos de um dos pés.

Continuou reconstruindo sua vida primeiro na Índia trabalhando com arte sacra tibetana, ajudou na pintura e ornamentação de templos de grandes mestres como S.S. Dalai Lama, Sakya Trinzin e Dzongsar Kyentse Rinpoche. Em 2006, veio para o Brasil coordenar a pintura e ornamentação de um templo budista no interior de São Paulo.

Em 2009 veio para a cidade gaúcha de Três Coroas onde conheceu a gaúcha Adriana, com ela construiu o Espaço Tibet e realizou o sonho de divulgar e preservar sua cultura de sabedoria e paz.

O Espaço Tibet funciona de quarta a sextas das 11:45 – 15:00; sábados para almoço e jantar das 20:00 às 23:00; domingos e feriados das 11:45 às 16:00. Fica na cidade de Três Coroas- RS, Rua Alagoas, 361. www.espacotibet.com.br

Denise Rohnelt Araujo
jornalista@teste.com.br
http://meusite.com.br
Aqui ficará as informações sobre o colunista e a coluna.
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Letras Saborosas
+ Ler mais artigos de Letras Saborosas