Por Francisco Cândido
Em 14/03/2018

DO FOGO DA LAMPARINA À TORRE DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA.
 - RORAIMA TEM LUZ NO FIM DO TÚNEL? – 

No sábado, dia 10 de março, ocorreram cinco apagões consecutivos de energia elétrica a cada 15 minutos. O prejuízo que esse tipo de blackout traz para as empresas e residências é incalculável. Espera-se até hoje uma decisão do Governo Federal, junto à Funai e a outras instituições, inclusive às ONGs (Organizações Não-Governamentais) para que seja autorizada a passagem das torres com as linhas de transmissão de energia vinda de Tucuruí, no Pará, passando por Manaus, atravessando as terras dos Waimiri/Atroari, chegando até Boa Vista.

Resumo histórico: Em Boa Vista, na década de 1940, passou-se a dizer: “Da Lamparina ao Lampião a gás”, numa época em que ainda não havia energia elétrica nas residências. O prefeito Adolpho Brasil foi pioneiro na instalação de uma pequena “usina de luz”, que fornecia energia elétrica nas lâmpadas instaladas nos primeiros postes da cidade.

- No dia 04/01/1957, o Presidente da República Juscelino Kubitschek veio a Boa Vista e inaugurou a “Usina de Luz” (Central Termelétrica, movida a Óleo Diesel) - com um gerador de 570 KVA - instalada num prédio no Bairro São Pedro, no final da Avenida Major Williams.

- No dia 05/04/1969, no governo de Hélio da Costa Campos, foi fundada a CER–Centrais Elétricas de Roraima (criada pela Lei Federal nº 5.523), instalada à Rua Serejo Cruz – esquina com a Avenida Ene Garcez – próxima à Praça das Águas.

- Em 1985, criou-se a ideia de se construir uma Hidrelétrica na localidade do Paredão, no Município de Alto Alegre, e havia até o slogan: “Quem não acreditar, vai levar um choque”. Mas, o projeto não se concretizou devido, em parte, à reação contrária feita por Ongs e por outras instituições. Além do que, à época, houve mudança no governo de Roraima.

- No dia 13 de agosto de 2001, às 16h, na subestação de Monte Cristo, em Boa Vista, foi inaugurada oficialmente o "Linhão de Guri", trazendo a Energia da Venezuela. Estava presente à solenidade: o Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, acompanhado do presidente da Venezuela, Hugo Frias Chaves e do governador de Roraima, à época, Neudo Ribeiro Campos.

O Linhão de Guri: - O Projeto da Interligação Elétrica Venezuela-Brasil consiste em um sistema de transmissão de energia elétrica, interligando o complexo hidrelétrico de Guri/Macágua na Venezuela com a cidade de Boa Vista, numa extensão de 676 km. Do lado brasileiro a cargo da Eletronorte, e pela Venezuela a Edelca – Eletrificación Del Caroni. Os investimentos foram orçados à época do contrato (1997), em cerca de 185 milhões de dólares, sendo 55 milhões de dólares no Brasil e 130 milhões de dólares na Venezuela.

Passados mais de 20 anos, desde os primeiros dias da transmissão de energia elétrica vinda da Venezuela, o Estado de Roraima não conseguiu construir a sua própria hidrelétrica, de grande porte, que possa atender a todos os municípios de Roraima.

E, aqui faço um adendo para mencionar a Usina (Hidrelétrica) de Jatapú, localizada a 55 km da sede do Município de Caroebe, a sudeste do Estado de Roraima. A construção da Usina iniciou em 1991 e foi inaugurada oficialmente em 1994, ano em que começou a operar.

Esta Usina foi construída entre os anos de 1991 e 1994, e inaugurada oficialmente em 1994, ano que começou a operar. Inclusive, foi rebatizada oficialmente de: “Complexo Energético Ottomar de Sousa Pinto” (nome do seu criador). A Usina de Jatapu, como é popularmente conhecida, é movida pela água represada do rio Jatapu e ocupa uma área de mais de 7.412,52 hectares. A Usina é administrada pela Companhia Energética de Roraima-CERR-, e atende os municípios de Caroebe, São João da Baliza e São Luiz.

Sem demérito da contribuição energética da Usina de Jatapu, o Estado de Roraima tem 15 municípios e todos necessitam de uma hidrelétrica de grande porte. Em 2014, o governo à época, propôs a construção de uma hidrelétrica em Caracaraí, aproveitando a corrente d´água das corredeiras do Bem-Querer. Mas, como sempre, as barreiras interpostas pelos movimentos socioambientais, atravancaram o progresso do Estado.

 

Agora, só nos resta a esperança de que o governo federal viabilize a passagem das torres de transmissão de energia elétrica, através das terras indígenas waimiri/atroari, até Boa Vista, interligando, finalmente, o Estado de Roraima ao sistema elétrico nacional.

A Usina Hidrelétrica de Tucuruí está situada no rio Tocantins, no Município de Tucuruí (a cerca de 300 km ao sul de Belém), no Estado do Pará, com uma capacidade geradora instalada de 8.370 MW (Megawatts). A construção foi iniciada em 24/11/1974 e inaugurada no dia 22/11/1984, pelo então Presidente da República, o general João Baptista de Oliveira Figueiredo. Tucuruí é a maior usina hidroelétrica 100% Brasileira. Seu vertedouro d´água é de 110.000 m³/s (metros cúbicos por segundos) e tem a capacidade geradora de energia elétrica de 8.370 MW (Megawatts).

Tucuruí é a principal usina integrante do Sistema Interligado Nacional (SIN), sendo responsável pelo abastecimento de Energia Elétrica de grande parte da Região Norte do Brasil.

Será que teremos que recorrer a Deus para que Ele repita Suas sagradas palavras, conforme escritas em Gênesis (1-3): “Faça-se Luz”! E a Luz foi feita?

Que venha o Linhão de Tucuruí.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala