Por Parabólica
Em 09/11/2017

Bom dia,

Dois preços administrados pelo Governo Federal, o dos combustíveis e o da energia elétrica, podem complicar ainda mais a vida dos roraimenses no curto prazo. Pela primeira vez em Roraima, o preço da gasolina ultrapassa a barreira dos quatro reais por litro, sendo que o diesel vai na mesma direção, já alcançando nalguns postos de abastecimento preço superior a R$ 3,50/litro. Não precisa ser economista para imaginar que isso vai trazer aumento no frete das mercadorias que chegam ao Estado, o que elevará o preço dos bens de forma generalizada, afinal, quase tudo que consumimos vem de fora, às vezes do Centro-Sul do País. Assim, é quase certo de que nas próximas semanas teremos que conviver com mais inflação.

No caso da energia elétrica, o caso é ainda mais complicado. A pancada sobre o orçamento do consumidor local destinado à conta de luz vai ser onerada de uma só tacada em 35,3%, exatamente no momento em que o que Governo Federal anuncia postergação de qualquer aumento no salário dos funcionários públicos. Já estamos mais pobres desde o início deste mês de novembro, afinal, o aumento cavalar na tarifa cobrada pela Eletrobrás Roraima está valendo desde o dia 1º. Não tem para onde correr.

E se o consumidor roraimense já está sobrecarregado com a conta de luz, vai ficar mais ainda devido aos reajustes dos preços decorrente do repasse que todas as empresas, de todos os ramos de atividades, farão aos preços dos bens e serviços. Todos sabem, no mundo moderno quase nada se produz sem a utilização de energia elétrica. Do sanduíche ao pão utilizado na sua composição, do salão de beleza que usa ar condicionado, ao supermercado. Tudo será majorado, e quem pagará a conta no final da linha será o consumidor.

SEM EXPLICAÇÃO
Afinal, de quem são estas termoelétricas que ganham dinheiro mesmo que não funcionem? Quanto a Eletrobrás paga por mês a cada uma? Como esse pagamento adicional impacta na tarifa da energia elétrica fornecida aos consumidores locais? Pagamos, afinal, dobrado para termos uma energia sem segurança, com cortes quase diários? Essas perguntas não são respondidas pela concessionária/monopolista e, mesmo assim, não é incomodada pelos órgãos de fiscalização, entre os quais os Ministérios Públicos, Federal e Estadual. Será que isso acontece por ter interesses poderosos, que ganham dinheiro desavergonhadamente a custo do sacrifício da população?

LIDA
Fontes da Parabólica garantem que a Mensagem da governadora Suely Campos (PP) encaminhada à Assembleia Legislativa do Estado (ALE), acompanhando o projeto de lei que pede autorização dos deputados estaduais para que o governo estadual possa tomar empréstimos bancários para investimentos, já foi lida em Plenário. O pedido é da ordem de R$ 116 milhões e deve ser aprovado nos próximos dias sem maiores dificuldades. Parte desses recursos será aplicada na revitalização do Posto Fiscal da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) no Jundiá, fronteira com o Estado do Amazonas. Além de obras, novos equipamentos serão adquiridos para melhorar a situação daquele Posto Fiscal, que realmente está muito ruim.

VOLTARÁ
E durante discurso pronunciado no Tribunal de Justiça do Estado, ontem, durante a solenidade de posse do desembargador Jésus Nascimento, como corregedor-geral daquela instituição, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, o deputado estadual Jalser Renier (SD), anunciou que, em janeiro próximo, o deputado estadual Oleno Matos (PP) deverá retomar o mandato. Presente ao evento, Matos confirmou a notícia e diz ter cumprido a missão de ajudar o Estado, auxiliando a governadora Suely Campos. Caso seja concretizada a volta, o ex-governador Flamarion Portela (PDT) deixará a ALE.

DE NOVO
Depois de uma parceria que só levou o Brasil para a maior crise econômica e moral que se tem notícia na história republicana pátria e, mesmo que um deles tenha derrubado a Presidente da República, filiada a outro, eis que PMDB e PT já anunciam aliança eleitoral para 2018 em pelo menos oito estados. E não será surpresa se os dois partidos também se coligarem para apoiar Lula da Silva (PT), se ele for mesmo candidato à Presidência, apesar de estar condenado a nove anos de prisão por corrupção. E tudo isso para evitar que os brasileiros tenham oportunidade de renovar essas lideranças carcomidas pelo tempo e pela corrupção. Que coisa, hein?

EXONERAÇÃO
A Folha ouviu os três deputados federais, Abel Galinha (DEM), Carlos Andrade (PHS) e Shéridan (PSDB), que votaram pela continuação das investigações pedida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB). A intenção era saber se algum indicado desses parlamentares já havia sido demitido pelo Palácio do Planalto, em razão de suas posições assumidas. Os três disseram não ter feito indicação para cargos federais em Roraima. Abel Galinha disse que votou contra porque o Governo Federal não cumpriu nenhum dos compromissos feitos com a bancada para beneficiar Roraima.

SEMINÁRIO
Começa hoje, no auditório do Núcleo de Estudos Comparados da Amazônia e Caribe (Necar)/UFRR), no Campus Paricarana, o seminário promovido pelo Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento, chamado Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Coordenado pelo professor doutor Roberto Ramos, o evento começa às 18 horas e terá como palestrante de abertura o economista Roberto Saturnino Braga, ex-senador da República e ex-prefeito do Rio de Janeiro. Depois dessa palestra será lançado o livro Amazônia Brasileira e Pan-Amazõnia: Riqueza, Diversidade e Desenvolvimento Humano.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica