Por Parabólica
Em 11/06/2018

Bom dia,

Faz quase um mês que os brasileiros e as brasileiras vivem sobressaltados por conta da greve dos caminhoneiros e das consequências dela. E hoje, segunda-feira (11.06) acordamos mais uma vez sobressaltados. O governo Michel Temer (MDB), que se dizia liberal, há quase uma semana está tentando definir uma tabela de preço mínimo do frete de transporte rodoviário. Já fez três tentativas e nenhuma foi aceita por caminhoneiros, ou por produtores rurais.

Nada tão antiliberal que esta tentativa de intervir na velha lei da oferta e da procura. Enquanto os voluntaristas do Palácio do Planalto persistirem nessa linha, continuaremos dormindo e acordando sobressaltados.

TERMINANDO
Ontem, domingo, durante o programa Agenda da Semana, da Rádio Folha, a ouvinte Fátima Araújo, lembrou que o acordo entre os governos do Brasil e da Venezuela para o fornecimento da energia elétrica de Guri para Roraima termina no ano de 2020. Isto é, daqui a pouco mais de um ano e meio. Ela perguntava sobre os efeitos de eventual não renovação desse acordo sobre a economia e sobre a vida em Roraima. Essa pergunta é fácil de responder, afinal, ninguém tem dúvida de que viveremos um caos econômico e social no estado, exceção, é claro, dos donos das termoelétricas instaladas que aumentariam ainda mais, seu já gordo faturamento.

PROVÁVEL
E se o cenário atual persistir é muito provável que o governo brasileiro encontre imensa dificuldade para convencer o bolivariano Nicolás Maduro a renovar o acordo de fornecimento da energia elétrica de Guri para Roraima. O clima entre o atual governo brasileiro e o da Venezuela é de franca hostilidade. Ainda na semana passada, o Brasil encabeçou uma lista de 20 países para suspender a participação da Venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA), a mais alta instituição multilateral do Continente. Tal resolução já foi aprovada preliminarmente e até o final do ano esse afastamento deve ocorrer. A única expectativa positiva é que em 2020 o Brasil já estará de presidente novo.

DISSEMOS
Semana passada dissemos cá deste espaço que parte do aumento dos combustíveis no Brasil era consequência da desvalorização do Real frente ao Dólar americano. Também afirmamos que se o governo federal quisesse, poderia evitar essa desvalorização, bastando intervir no mercado de câmbio vendendo dólares retirados das reservas internacionais brasileiras. Dito e feito, bastou o presidente do Banco Central anunciar que a instituição comprará US$ 20 bilhões esta semana para o dólar baixar de R$ 4,00 para R$ 3,70, que é a cotação de abertura do mercado nesta segunda-feira (11).

NEM TANTO
Ontem, domingo (10.06), o pré-candidato ao Senado Federal pelo Patriotas, empresário Cristian Santos, foi entrevistado no programa Agenda da Semana, da Rádio Folha. Desconhecido pela esmagadora maioria dos eleitores roraimenses, Santos disse contar com o trabalho de militância de seu partido, que segundo ele, está organizado em todos os 15 municípios do estado. Na mesma hora em que ele falava na confiança que depositava na militância dos filiados do Patriotas, uma ouvinte do programa ligou dizendo ter assistido na TV Assembleia o deputado estadual Odilon Filho, que é do partido, pedir votos para o pré-candidato ao Senado Federal, o notório senador Romero Jucá (MDB). Vá ser fiel assim, no inferno.

DESANIMADO
O governo do estado está sem esperança de que o Supremo Tribunal Federal (STF) venha obrigar o governo federal a repassar recursos para ajudar no acolhimento dos migrantes venezuelanos. Na última reunião de conciliação patrocinada pela ministra Rosa Weber, a advogada-geral da União simplesmente descartou tal hipótese ao afirmar que o governo Michel Temer já faz sua parte. O interessante é que na mesma semana em que negou ajuda ao estado, o governo federal mandou liberar, através da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a bagatela de R$ 59.338.600,00 (cinquenta e nove milhões, trezentos e trinta e oito mil e seiscentos reais) para a Prefeitura de Boa Vista destinados a obras de drenagem. Detalhe: nos próximos três meses não é possível fazer esse tipo de obra por conta da chuva.

CAMINHANDO
Quantos, ninguém sabe, mais é grande o número de venezuelanos, alguns com mulher e filhos, caminhando pela BR-174 em direção a Manaus. Muitos deles devem ficar se encontrarem alguma ajuda nas cidades que ficam nas margens daquela rodovia federal, mas a maioria diz que o objetivo é chegar a Manaus, onde esperam encontrar mais oportunidades. É a tal interiorização dos migrantes prometida pelo governo federal, que não passou de algumas centenas, e que está ocorrendo de forma espontânea. Um motorista de táxi, que faz a linha Boa Vista/Pacaraima/Boa Vista disse à Parabólica que o fluxo de migrantes da Venezuela para Roraima continua grande.

DOU
A senadora Ângela Portela (PDT) disse ontem, no programa Agenda da Semana, da Rádio Folha, que como todos os parlamentares do estado, luta e cobra do governo federal o enquadramento do maior número possível de servidores do ex-Território nos quadros da União, por conta da Emenda Constitucional 98. Por enquanto, até ela diz publicar nas redes sociais, listas com servidores considerados aptos pelo Ministério do Planejamento para alcançarem o benefício. “Acontece que o que vale mesmo é a publicação no Diário Oficial da União dos decretos com a incorporação dos servidores aos quadros da União, inclusive em que funções eles serão lotados”, diz a senadora pedetista. A data limite para que isso ocorra ainda este ano é 7 de julho, por causa das eleições.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
SANTOS disse: Em 12/06/2018 às 11:03:21

"DOU - Com a exiguidade de tempo, 7 de Julho, uma meia-duzia conseguirá ser enquadrado, significando que essa bandeira ainda servirá de munição eleitoreira no pleito que se avizinha. Nunca ví um filho ter tantos pais."

misael carvalhedo disse: Em 11/06/2018 às 05:46:26

"O Governo do Estado devia fornecer passagens, via terrestre, para esses imigrantes que queiram ir para outras regiões do Brasil. O custo seria menor do que manter atendimento (saúde, educação,segurança etc.) para essas pessoas aqui em Roraima!"

Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica