Por Parabólica
Em 14/07/2017

Bom dia,

Ontem, dissemos aqui nos anos 80 do século passado que o então Presidente da República, José Sarney (PMDB), transformou o Palácio do Planalto num balcão de negociatas para estender seu mandato de quatro para cinco anos. Devido a natureza pouco republicana dos deputados e senadores, Sarney, que sequer foi eleito, ficou cinco anos no Palácio do Planalto, mas saiu de lá, ao final dos cinco anos, quase enxotado. É claro, os resultados daquela administração podem ser medidos pela inflação galopante, chegando alcançar 60% ao mês. Uma loucura meio parecida com o que está acontecendo na vizinha Venezuela. O Brasil e os brasileiros pagaram a conta da negociata de Sarney para permanecer mais tempo na presidência.

Estamos lembrando daquela situação hoje, para dizer que, como era esperado depois das substituições realizadas na composição do Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal; da liberação de bilhões de reais pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN); e da nomeação em profusão de apaninguados de parlamentares para cargos federais, 40 dos 65 deputados titulares daquela comissão votaram contra o relatório do deputado federal Sérgio Zveiter (PMDB). Os números falam mais alto, não fosse a retirada dos parlamentares contrários a Temer, o resultado seria exatamente o inverso.

A natureza dos políticos tupiniquins não mudou do final do Século passado para o início do atual. Eles continuam os mesmos, por tanto, tudo indica que a Câmara Federal não irá conceder a licença para que o Supremo Tribunal Federal (STF) processe criminalmente o presidente Temer, e nesse caso ele pode permanecer no Palácio do Planalto até o final de 2018, mas estará fragilizado e será presa fácil para realizar o interesse nada republicano dessa classe política fisiológica. Pobre Brasil!

CONCURSO
Em junho, o Ministério Público do Estado de Roraima realizou as provas objetivas e a redação para o concurso para promotor de Justiça substituto em Boa Vista, Brasília e São Paulo. Segundo uma fonte da Parabólica, apenas um candidato roraimense passou para a segunda fase e nem mora mais no Estado. O restante dos classificados é formado por pessoas de outros estados. Vale lembrar que, logo após o anúncio do certame, um candidato entrou com representação no Conselho Nacional do Ministério Público pedindo que as provas fossem realizadas apenas em Roraima, mas o pedido não foi atendido.

SUSPENSO
Servidores do Posto de Fiscalização do Jundiá, no município de Rorainópolis, região sul de Roraima, procuraram o deputado estadual Jorge Everton (PMDB) para informar que desde a manhã de quarta-feira, (12), o trabalho de vistoria de cargas foi suspenso e destinado à Secretaria de Fazenda (Sefaz), em Boa Vista. O motivo, segundo eles, é devido às más condições físicas na estrutura do posto e a falta de pessoal que já dura mais de um ano.

SINDICATO
O presidente do Sindicato dos Fiscais de Tributos do Estado de Roraima (Sinfiter), Kardec Jakson, ratifica as informações de que dos servidores do Posto do Jundiá estão enfrentando uma série de dificuldades. “Falta estrutura, material e comprometimento do Governo do Estado em relação à maior unidade de fiscalização e de arrecadação de Roraima”, assegurou.

SEM CONDIÇÕES
Jakson destacou que não há condições dos caminhões transitarem no posto fiscal. “Com isso, o Sindicato decidiu não abrir mais nenhuma carga desde quarta-feira. Nós estamos encaminhando os caminhões para a Sefaz, em Boa Vista. A Sefaz arrecada hoje, em média, R$ 64 milhões por mês somente de ICMS e está com a sua maior estrutura um verdadeiro caos”, afirmou.

ELEIÇÃO
Pelo tom dos discursos tanto da governadora Suely Campos (PP) quanto da prefeita Teresa Surita (PMDB), tudo indica que a polarização prevista para as eleições de 2018 foi antecipada em quase um ano. Ainda em tom educado, mas não muito amigável, as duas andam trocando farpas. Assim, dentro de muito pouco tempo, é provável que tenhamos o anúncio da candidatura de Teresa para enfrentar Suely, na hospedagem do Palácio Senador Hélio Campos.

DISPUTA
O Governo do Estado e a Prefeitura de Boa Vista vão realizar mutirões contra o mosquito Aedes aegypti neste sábado. As ações serão realizadas após o anúncio do surto de chikungunya no Estado e depois de a governadora provocar a prefeita, dizendo que ela não estava fazendo a sua parte no combate ao mosquito. A governadora Suely Campos, no figurino de João Dória Jr, vai estar de bota e tudo ajudando os servidores do Governo no combate ao mosquito.

RELATÓRIO
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do Grupo Especial de Monitoramento e Fiscalização (GEMF) do Sistema Prisional da Região Norte, deverá finalizar apenas no próximo mês o relatório das visitas feitas às unidades prisionais da Região Norte, incluindo Roraima. O Grupo foi criado após os massacres de presos em Manaus e Boa Vista no início do ano. O primeiro prazo de entrega do relatório era abril, depois foi prorrogado para julho e agora a previsão de entrega é agosto. Êta, coisa difícil!

NEGA
Sobre a nota publicada ontem, aqui na Parabólica, dando conta do recebimento pela Prefeitura de Boa Vista de uma verba de R$ 9 milhões, transferida pelo Governo Federal para ajudar no atendimento aos migrantes venezuelanos, fontes da PMBV negam tal recebimento. Os recursos do Tesouro Nacional para o Município foram para outras finalidades. A nota insinuava que esta transferência teria sido prometida inicialmente ao governo estadual.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica