Por Gildo Júnior
Em 28/07/2017

EDITORIAL

Tepequém, Serra Grande e proximidades a Boa Vista, são locais perfeitos para admirarmos orquídeas de várias espécies, cores e tamanhos. Orchidaceae é considerada uma das maiores, senão a maior entre todas as famílias botânicas. O número de espécies de orquídeas é próximo a vinte cinco mil, correspondendo a cerca de 8% de todas as plantas com sementes. E nosso roteiro hoje é onde podemos encontrar essas belas flores. Conheça seu mundo, conheça Roraima ao Extremo. Gildo Junior
 
FICA A DICA

Roupas leves (e claras, roupas pretas atraem insetos), fáceis de secar, sandálias e/ou tênis, repelente e medicamentos pessoais, inclusive antialérgicos (avise sempre ao guia ou à pessoa que te acompanha na viagem sobre os medicamentos que não pode ingerir), bolsa estanque para colocar as máquinas fotográficas, filmadoras ou celular.

Não se esqueça de levar em suas viagens água para estar sempre se reidratando e tabletes de cereais para repor as proteínas e sais perdidos na caminhada.

Procure por agências como a Roraima Adventure pelo site www.roraima-brasil.com.br ou pelo fone 99115-4171, telefone de plantão para obter mais informações sobre a observação de orquídeas.


OBSERVAÇÃO DE ORQUÍDEAS

Em toda Amazônia Brasileira há mais de 800 espécies de orquídeas, porém mais de 400 delas estão em Roraima e uma parte significativa na região do Tepequém, principalmente as Rupícolas e Terrestres que habitam nas savanas rupestres do platô. Neste roteiro, visitaremos locais onde temos as maiores concentrações delas: na região próxima de Boa Vista, navegando pelo Rio Branco, no Jardim Botânico onde há uma variedade enorme, e finalmente na Serra do Tepequém.

Viajando por nosso Estado, pude visitar a Serra Grande, um local fantástico e repleto de orquídeas, geralmente quando subimos pelo lado do Sítio do Gaúcho, da Tia Juliana, encontramos mais orquídeas roxas de vários tamanhos, é possível encontrar outras espécies de orquídeas e bromélias. Já, para quem sobe pelo lado em frente à vila da Serra Grande, além das orquídeas roxas, também encontramos as grandes brancas e umas verdes e vermelhas. Lembro que minha primeira subida a serra foi em 2004, com um grupo de amigos e foi pelo lado mais difícil, encontramos dificuldades pelo caminho, mas chegamos a um local que estava cheio dessas orquídeas brancas, fiquei encantado com aquele local.

Outro local que me encheu os olhos com tamanha beleza foi a Serra do Tepequém, conheço desde 1998, quando as estradas eram de barro e era muita adrenalina para chegar ali. Foi lá que pude ver uma quantidade imensa de orquídeas. No platô tem áreas com milhares de orquídeas da mesma cor, mesmo tamanho, outras de famílias diferentes, que nascem em meio a tantas e com certeza uma que sempre chama a atenção é a orquídea branca grande, não há como passar desapercebida por toda sua beleza. Ainda no platô, em outra viagem com meus amigos Luciano Alvarenga, Lice Tobias e Marcelo Anderson, pudemos encontrar outra orquídea que me deixou fascinado, pequena e chamativa, sua cor num vermelho meio alaranjada, se destacava na mata. E andando por lá acabamos sempre encontrando, além das orquídeas, lindos animais e insetos que fazem parte da composição daquele local, como as araras canindé e a rã-Flecha Venenosa, registrados por nossa equipe.

NA VIAGEM – ROTEIRO DE 4 DIAS

1º Dia – 6h30 – Saída via terrestre (aproximadamente 15 minutos) para o Rio Branco destino rumo norte, deslocamento de canoa motorizada (aproximadamente 1h) até o local onde irão encontrar as orquídeas. Parada para o almoço, depois seguindo para a região do Amajari – Vila do Tepequém para pernoitar.

2º DIA – 6h30 – Saída para o Platô do Tepequém, local onde encontraremos as Sobrálias, Epidendrum, Catasetum, retornando aproximadamente às 13h para o almoço. Por volta das 15h, irão visitar a região da Cachoeira do Barata, onde novas orquídeas poderão ser observadas. Neste passeio desfrutarão de um banho na região. Regresso no final da tarde para o alojamento.

3º DIA – 6h30 – Saída para o Platôzinho, onde irão observar as Maxillaria, Hexisea, Catasetum, sobrálias, chegando aproximadamente 12h30 para o almoço. Descanso e depois visitar a Cachoeira do Paiva, e no final da tarde retornar para Boa Vista a pernoitar.

4º DIA – 8h – Visita ao Jardim Botânico para observar o orquidário. Almoço e tarde livre.

Ao viajar, tente aproveitar ao máximo daquela região, seja Serra Grande, Tepequém, Monte Roraima ou qualquer outro local, tente aprender sobre a cidade, a vila, a cultura, a culinária, a fauna, a avifauna, a flora. Tente levar consigo sempre uma câmera fotográfica ou filmadora e torne os momentos em sua vida eternos e lembre-se sempre: pedras, árvores, animais e monumentos estão ali para serem admirados e não depredados, retirados ou pichados.

INSTAGRAM RORAIMA


A foto selecionada da semana foi publicada por @elyguerra23 no Instagram @roraimaaoextremo e obtida por meio da hashtag #roraima. Uma foto que apresenta uma das áreas do Monte Roraima, parabéns pelo registro. Quer que sua foto seja a próxima a estar aqui na coluna Roraima ao Extremo? Faça uma com o tema belezas naturais, turismo, esporte ou aventura em nossa região e, ao publicá-la no Instagram, adicione a hashtag #roraima e/ou #portalroraima. Assim, nossa equipe selecionará a melhor foto da semana. Quem sabe não será a sua a próxima a estar aqui!

EU CURTO MUITO ISSO

No dia 6 de agosto, a partir das 3h30 da manhã, será dada a largada da ULTRA TRAIL SERRA GRANDE, com percursos de 5km, 12km, 32km e 57km, saindo da vila da Serra Grande I, na região do Cantá. Mais informações através dos números (WhatsApp) 95 99146-9752 / 99142-8112.


Entre em contato com nossa equipe pelo e-mail roraimaextremo@gmail.com ou visite nossa Fan Page www.facebook.com/roraimaaoextremo, enviando-nos suas sugestões. Um grande abraço e até a semana que vem, com muito mais turismo e aventura aqui no seu Roraima ao Extremo.

Gildo Júnior
Desde: 2000-01-01
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!