EMBATE
Eletrobras afirma que hidrelétrica de Jatapu ainda está em fase de testes
Pronunciamento ocorreu após o desligamento da usina na semana passada; CERR garante que todos os testes foram concluídos
Por Folha Web
Em 12/07/2018 às 01:04
Moradores da região centro-sul de Roraima estão com energia fornecida de Boa Vista enquanto hidrelétrica de Jatapu não funciona (Foto: Nilzete Franco)

A Eletrobras Distribuição Roraima convocou uma coletiva de imprensa na manhã de ontem, 11, para esclarecer os motivos que levaram a distribuidora a realizar o desligamento da hidrelétrica de Jatapu, localizada no município de Caroebe, que fornece energia para os municípios do centro-sul de Roraima. A coletiva foi realizada após a Companhia Energética de Roraima (CERR) afirmar, na semana passada, que a distribuidora havia desligado a hidrelétrica e estava recusando o fornecimento de energia gerado pela usina.

De acordo com o presidente da Eletrobras, Anselmo Brasil, a hidrelétrica de Jatapu está em fase de testes e, por conta disso, estava causando instabilidade na transmissão de energia. O presidente informou que a hidrelétrica ainda está sob a responsabilidade do Governo do Estado, por meio da CERR, e que aguarda o repasse para que a Eletrobras assuma o fornecimento de energia, já que a Companhia perdeu o direito de concessão em 2016. 

Anselmo disse que após a reforma na usina, que foi reinaugurada no mês passado, novos equipamentos foram instalados e que precisam passar por testes antes que seja totalmente entregue. Por conta desses testes, os moradores da região estavam sofrendo com a constante instabilidade na energia e com apagões. Para evitar que o prejuízo fosse maior, a Eletrobras decidiu fazer o desligamento total da hidrelétrica.

“Tivemos uma reunião de cunho técnico para que eles [CERR] resolvam os problemas operacionais que estão lá dentro de Jatapu que estão sob responsabilidade deles e não da Eletrobras, então enquanto isso estamos aguardando. Isolamos a usina para que ela não tenha interferência no sistema e estamos gerando com térmica em Novo Paraíso e também com atendimento indo de Boa Vista para a região. Assim que sejam concluídos esses trabalhos de ordem técnica de Jatapu, ela deve ser passada oficialmente para a Eletrobras e aí sim, responderemos pelas atividades”, afirmou o presidente.

Por estar interligada com a energia de Boa Vista, através do Linhão de Guri, os municípios da região sul podem estar suscetíveis às quedas de energia que estão ocorrendo recentemente no Estado. “Os apagões são todos oriundos da Venezuela. Quando tem um temporal na região de Las Claritas, repercute aqui, mas hoje nós estamos com energia suficiente aqui em Boa Vista para recompor a carga em até oito minutos. Nós temos a única capital no Brasil com energia suficiente para viver sozinha. Quando sai a [energia da] Venezuela, eu [Eletrobras] entro com as térmicas aqui”, ressaltou.

Anselmo também explicou que as regiões mais distantes acabam sofrendo com a instabilidade de energia por conta da extensa área rural que pode causar diversos problemas, desde a queda de árvores nos fios e que interrompe a rede, até a interferência de moradores que tentam fazer ligações clandestinas de energia.

BLACKOUTS – A população roraimense já parece estar adaptada às constantes quedas de energia que ocorrem no Estado. Segundo informou o presidente da Eletrobras, no ano passado foram registrados oficialmente 33 blackouts e até junho deste ano, 23. Anselmo garante que os problemas são ocasionados por conta do fornecimento da Venezuela e, quando existe uma interferência no país vizinho, é refletido aqui. Porém, a distribuidora tem procurado diminuir os danos com a instalação de novas subestações em alguns pontos da cidade e que tem potência suficiente para sustentar a energia na cidade inteira, mas que isso seria um custo muito alto.

“Quando sai a Venezuela, eu entro com as térmicas aqui. Evidente que esse custo operacional é maior do que com a Venezuela, mas a gente consegue tocar. Sempre que ocorre essa interrupção, que eu sei que é um desconforto, nós trabalhamos de forma econômica. Quanto mais eu puder usar a energia da Venezuela, melhor porque ela é de fonte hidrelétrica. Se eu puder usar o máximo, eu uso”, admitiu Anselmo.

CERR informa que testes foram concluídos antes da reinauguração

A Companhia Energética de Roraima (CERR) informou, por meio de nota, que todos os testes e ajustes técnicos finais foram concluídos antes da reinauguração da Usina Hidrelétrica de Jatapu.

De acordo com a Companhia, o procedimento, que é essencial antes de entregar esse tipo de obra, se iniciou em outubro do ano passado quando a primeira etapa da obra foi entregue com geração de 5 megawatts e os ajustes finais para o sincronismo das quatro turbinas foram concluídos em maio, totalizando a geração de 10 megawatts, o suficiente para atender a demanda de consumo da região pelos próximos 15 anos.

A Companhia reiterou que “não foi constatado nenhum problema técnico na Usina. O Complexo está pronto para gerar energia limpa e confiável aos moradores do sul do Estado”. Mesmo após a perda da concessão em 2016, a CERR é responsável pelo gerenciamento da usina e responsável pela geração de energia elétrica. A Eletrobras é responsável por distribuir e conservar as linhas de transmissão.

Por fim, a CERR afirmou que, em relação ao gerenciamento da usina, se será repassado para a União, o assunto está em discussão durante audiências nesta quinta-feira e sexta-feira, 12 e 13, no Ministério de Minas e Energia e na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). (A.P.L)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!