SEMINÁRIO
Fórum discute formatação dos Planos de Resíduos Sólidos em RR
O evento ocorrerá nesta segunda-feira, 20, e terça-feira, 21, às 13h30, no auditório Alexandre Borges da UFRR
Por Folha Web
Em 20/03/2017 às 09:41
Com prazo para fechamento dos lixões chegando ao fim, as prefeituras têm até 2018 para planejar rapidamente a solução do manejo

Com prazo para fechamento dos lixões chegando ao fim, as prefeituras têm até 2018 para planejar rapidamente a solução do manejo e implementar políticas sérias. Com isso o I Seminário do Fórum Estadual Lixo e Cidadania - Meio Ambiente e Saneamento, pretende ajudar nas discussões e na formatação dos Planos de Resíduos Sólidos, além de cumprir o que determina a Lei 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

O evento ocorrerá nesta segunda-feira, 20, e terça-feira, 21, às 13h30, no auditório Alexandre Borges da UFRR. Os eixos de discussão apontam a Água, Meio Ambiente e Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos como principais assuntos.

“Vamos discutir a implantação, de uma vez por todas, do Plano de Resíduos Sólidos de cada município. Quais os desafios da criação dos Aterros Sanitários? O que inclui a coleta seletiva como uma das soluções, o cuidado com a água e o meio ambiente. O roraimense não pode mais ser alheio a esse problema. Os prefeitos, os gestores, a dona de casa, o produtor rural, ou seja, todo mundo é responsável por isso”, conclamou a coordenadora do Fórum, Jucelia Rodrigues, participante pelo Sistema OCB/RR (Sindicato e Organização das Cooperativas em Roraima).

Paralelo à programação haverá exposições: dos Catadores de resíduos; artesãos que trabalham com material reciclável; pesquisas científicas das instituições superiores de ensino; unidade de Controle de Qualidade da Água; o ponto de coleta de óleo de fritura – uma Campanha da CAERR com o projeto “De olho no óleo”.

No primeiro dia o seminário prevê três salas temáticas de discussão: Cooperação e Gestão da Água; os desafios da implantação e Gestão dos Aterros Sanitários nos municípios; e Gestão e Saúde Ambiental. Num segundo momento, debates com mesas redondas sobre diversos temas relacionados à problemática.

O segundo dia será dedicado às palestras e visitas técnicas. A primeira na Associação de Catadores Terra Viva, onde as pessoas terão a oportunidade de conferir como é feito o manejo adequado do lixo; e outras duas na Estação de Tratamento de Água (ETA); e no Campo de Agronegócio na Faculdade Estácio, seguidos por mais debates sobre o Monitoramento e Qualidade da Água de Roraima; Toxicologia Ambiental; Os Desafios da Implantação e Gestão dos Aterros Sanitários; Coleta Seletiva e Reciclagem. Ao final, será elaborada a Carta do Seminário para apresentar às autoridades.

São 20 instituições que participam e apoiam o fórum: Sistema OCB/RR, CAERR, MPE/RR, DVA/CEVS, SEED, Sebrae, Unirenda, Vigilância Ambiental/SMSA, Funasa, DVA/CGVS, Eletronorte, Centro Universitário Estácio da Amazônia, SMPMA/PMBV, Embrapa, Femahr, MPT, Conab, UERR, UFRR, Fecomércio, Associação Terra Viva, Associação Global e Coep. O seminário recebe ainda o apoio das empresas: Forbrás, Rural Fértil, Sistema FAERR/SENAR, RC Engenharia, Garden Shopping, Eco Hotel, Grupo Perin, Sabão Glória e STIU/RR.

 

Comentários
gilberto marcelino disse: Em 20/03/2017 às 13:27:10

"Há alguns anos, como gestor de meio ambiente, consegui fazer de Caracaraí o único município de Roraima a dispor de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Essa etapa não apresenta dificuldades. O problema está na capacidade financeira dos municípios (inclusive Boa Vista) em implantar o sistema. à época, a FUNASA, por força de Lei, deveria assegurar os meios financeiros, bastando que os municípios propusessem a implantação do sistema. Assim o fizemos e nunca foi liberado recurso algum ao longo dos anos, e nada mudou até hoje. Há muita retórica e pouca ação do governo central, essa é a verdade. "