SALÁRIOS ATRASADOS
Servidores da Cerr com salários atrasados ameaçam fazer protestos
Por Folha Web
Em 12/08/2017 às 01:52

Cerca de 500 servidores da Companhia Energética Roraimense (CERR) estão com os salários atrasados. Eles deveriam ter recebido os salários do mês de julho até o quinto dia útil desse mês, conforme preconiza o acordo coletivo em vigor, mas até esta sexta-feira, 11, o valor não foi pago e nem há previsão para o recebimento.

O diretor financeiro do Sindicado dos Urbanitários de Roraima, João do Povo, disse que o atraso de salários é frequente no governo atual, mas que nesse mês passou dos limites. “Geralmente o pagamento ocorre somente no dia 10 de cada mês. Mas, desta vez, chegou no dia 11 e o governo não deu nem previsão para o pagamento. Se até na segunda [14] os salários não forem pagos, vamos tomar providências”, afirmou.

Segundo ele, mais de 100 servidores da Cerr foram dispensados nos últimos dois meses com o objetivo de enxugar a folha de pagamento, já que a companhia está em vias de fechar, porém os servidores comissionados continuam a serem contratados. “No último mês, fomos surpreendidos com a contratação de mais de 50 cargos de comissão da Cerr, sendo que os servidores com 15 a 20 anos de casa foram distratados com a desculpa de enxugar a folha. E não foi o que aconteceu, queremos explicações”, ressaltou o líder sindical.

O sindicato afirma que o dinheiro que entra atualmente na Cerr deveria ser usado para o pagamento das verbas rescisórias trabalhistas dos atuais servidores, mas, mesmo com a demissão recente de mais de 100 servidores, o valor da folha de pagamento não diminuiu, o que seria o motivo alegado pelo governo para o atraso no pagamento da folha desse mês.

João do Povo disse que os servidores estavam até então tolerantes com os atrasos frequentes nos salários devido à situação que a empresa vem passando com a perda da concessão do serviço de energia, mas se até a próxima segunda-feira o pagamento não for realizado, o sindicato vai começar a organizar protestos e atos públicos. “Vamos realizar protestos todos os dias até que a companhia tome a decisão de respeitar os direitos dos trabalhadores, pois entendemos que a contratação de mais comissionados em um momento que a Cerr não tem dinheiro nem para o pagamento dos servidores existentes tem que ser explicado”, afirmou.

GOVERNO – Em nota, a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) informou que o pagamento dos servidores da administração indireta será creditado até o dia 15 de agosto, dentre eles dos servidores da Cerr.

Conforme a Cerr, em agosto do ano passado, o Ministério de Minas e Energia (MME) negou prorrogar a concessão da companhia para transmissão, comercialização e distribuição de energia para os 14 municípios do interior do Estado. A Concessão de Serviço Público de Distribuição de Energia da Cerr foi outorgada em 1969, época de fundação da empresa. (R.D.)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!