REDES SOCIAIS
Três casos de pedofilia na internet foram registrados no mês de janeiro
Gostei (0) Não gostei (1)
Por Folha Web
Em 14/02/2017 às 00:34
Adolescentes de 11 a 16 anos são os mais suscetíveis à ação dos criminosos (Foto: Wenderson de Jesus)

Três procedimentos contra crimes de pedofilia na internet foram iniciados em janeiro deste ano em Roraima, segundo o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (NPCA). No ano passado, foram 19 processos abertos, todos ainda em trâmite.

De acordo com os casos, a faixa etária de 11 a 16 anos foi considerada a mais vulnerável à ação dos pedófilos. Por sua vez, a idade média dos abusadores é de 35 a 40 anos. As investigações aguardam respostas dos aplicativos e da perícia. Há também em trâmite situações envolvendo a transmissão nas redes sociais de imagens de cenas de sexo envolvendo crianças e adolescentes, conforme a polícia.

Para evitar que os crimes continuem acontecendo, o NPCA divulgou que tem realizado palestras de conscientização sobre o uso da internet por menores de idade. O coordenador do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Abuso, Exploração Sexual e Tráfico de Crianças e Adolescentes de Roraima, Flávio Corsini, sugeriu, em reportagem recentemente publicada pela Folha, que os pais monitorem as conversas dos filhos nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Aplicativos para o celular e para o navegador da internet também podem ser utilizados para interromper o acesso a determinadas palavras-chave, páginas e assuntos.

Corsini também mencionou que o serviço de denúncias Disque 100 recebe ligações anônimas, aumentando de 100 para 1.000 protocolos no período de 2004 até o início de 2017, um crescimento de 2000% nas queixas de abuso sexual contra crianças e adolescentes em Roraima. Os dados significam o lento rompimento do silêncio que envolve este tipo de crime. (NW)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!