APÓS MASSACRE
Agentes da Força Nacional chegam para auxiliar o sistema prisional de RR
Medida faz parte do auxílio do Governo Federal a sete estados que pediram ajuda para reforçar a segurança do sistema penitenciário local
Por Luan Guilherme Correia
Em 11/01/2017 às 00:31
Policiais da Força Nacional chegaram ontem em avião da Força Aérea Brasileira (Foto: Rodrigo Sales)

Os 101 agentes da Força Nacional de Segurança (FNS) desembarcaram ontem, em Roraima, para ajudar a controlar a crise no sistema penitenciário e reforçar a segurança na Penitenciária Agrícola do Monte Cristo (Pamc), palco do massacre de 33 presos ocorrido na semana passada.

O primeiro voo com 62 agentes, sendo 52 homens e 10 mulheres, chegou à Base Aérea de Boa Vista ainda pela manhã, por volta das 10h20. Aproximadamente 5,5 toneladas de equipamentos, entre materiais bélicos e bagagens, foram trazidas na aeronave, um modelo Hércules CC10 da Força Aérea Brasileira (FAB).

Um pouco depois, às 11h45, a aeronave modelo C99, da FAB, trazendo mais 33 homens da Força Nacional, aterrissou na Capital. A terceira e última aeronave, modelo C105 Amazonas, pousou no início da tarde com os últimos seis agentes e veículos para dar suporte ao trabalho da equipe no Estado.

A medida faz parte do auxílio do Governo Federal a sete estados que pediram ajuda para reforçar a segurança do sistema penitenciário local. Além de Roraima, foram atendidos os estados do Amazonas, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins.

Antes de seguir para a Penitenciária Agrícola do Monte Cristo, a equipe participou de reunião com as forças de segurança do Estado, a fim de traçar plano estratégico de atuação. “Nós queremos agradecer o envio dos agentes e esperamos que, com o efetivo, consigamos reforçar a manutenção da segurança pública em Roraima”, disse o secretário estadual de Justiça e Cidadania, Uziel Castro.

Ele informou que a missão dos agentes da Força Nacional será ajudar e apoiar nas guardas externas do presídio. “A atuação será definida ainda, mas a presença deles será de muita ajuda. Se forem atuar dentro ou fora da Penitenciária, só de estarem aqui é um reforço por permitir que a Polícia Militar desenvolva o trabalho dela”, frisou


Além da vinda da Força Nacional, o Governo do Estado também solicitou ao Ministério de Justiça e Cidadania (MJC) aporte financeiro para a construção de um novo presídio. Criado há 31 anos, a Pamc é hoje a maior unidade prisional do Estado. Com capacidade para comportar cerca de 700 presos, atualmente abriga 1.467 detentos, mais da metade do que deveria comportar, segundo estimativa da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc). (L.G.C)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!