LATROCÍNIO NO AMAJARI
Agricultores são atacados em suas propriedades e mortos a facadas
Um dos corpos foi encontrado por moradores e outro foi localizado pela polícia, quando se dirigiu ao sítio vizinho para investigar o primeiro crime
Por João Barros
Em 26/10/2017 às 00:28
Agricultores eram vizinhos e foram mortos em suas propriedades em um provável latrocínio (Foto: Divulgação)

A Vila Maracá, localizada no Município de Amajari, região Norte do Estado, foi palco, na noite de terça-feira, 24, de um duplo homicídio, tendo como vítimas dois agricultores. Eles foram identificados como Francisco Donizete de Almeida, conhecido como “Santarém”, de 61 anos, e Francisco Marcelino Julião, conhecido como “Taiano”, de 57 anos. O caso foi registrado na delegacia de Polícia Civil e a delegada responsável deu início às investigações nesta quarta-feira, 25.

Segundo a polícia, nos corpos dos agricultores haviam perfurações causadas por arma branca. O cadáver de Francisco Donizete foi achado do lado de fora de sua propriedade por moradores, que chamaram a polícia. Com o objetivo de obter informações, os agentes de polícia foram até a propriedade vizinha, mas, quando chegaram, também encontraram Francisco Marcelino morto. Os criminosos levaram uma motocicleta Broz, e duas armas de fogo que pertencem a Francisco Donizete.

A delegada do município, Simone Arruda, informou à Folha que a equipe da perícia está nos locais dos crimes e o Instituto Médico Legal (IML) já foi acionado para remover os corpos até Boa Vista, onde passarão pelo exame de necropsia para que sejam liberados à família. “Tudo indica que possa ter sido latrocínio, pois a primeira vítima foi encontrada ontem e pessoas da comunidade dizem que ele tinha duas armas. As duas residências estavam arrombadas”, disse a delegada.

Conforme a polícia, como os corpos já estavam em estágio inicial de decomposição, há suspeita de que os assassinatos possam ter ocorrido entre a noite de domingo, 22, e a manhã de segunda-feira, 23. Durante toda a tarde de ontem, a Polícia Civil realizou as oitivas de algumas testemunhas, a fim de elucidar os fatos. Até o momento, nenhum suspeito foi preso. (J.B)

Neto disse: Em 26/10/2017 às 08:15:33

"vejam só o absurdo o agricultor com armas dentro de casa não pode se defender, creio que não se defendeu por medo de ser penalizado pelo judiciário então preferiu se render aos bandidos, ou, bandido ao invés de agir. infelizmente é assim no nosso pais se reagirmos e tiramos a vida de um vagabundo vamos estar sujeito a sermos reclusos em um sistema prisional ou ficarmos respondendo processo em liberdade pelo resto de nossa vida."