APREENDIDOS
Alunos são apreendidos com drogas em escolas militarizadas
Gostei (0) Não gostei (0)
Casos aconteceram com alunos das Escolas Professora Maria de Lourdes Neves e Irmã Maria Teresa Parodi
Por João Barros
Em 17/05/2018 às 00:37
O caso foi levado para a Central de Flagrantes do 5º DP (Foto: Nilzete Franco)

Apesar do rigor no ensino e da disciplina aplicados nas escolas militarizadas em Boa Vista, ainda há estudantes que têm conduta incompatível com a política desses estabelecimentos educacionais. Exemplo disso é a apreensão de quatro alunos de duas escolas distintas, na noite da terça-feira, dia 15.

A primeira ocorrência foi registrada às 20h20, na Escola Militarizada Professora Maria de Lourdes Neves, localizada na Rua José Cassimiro da Silva, no bairro Pintolândia, zona Oeste da Capital. Um policial que atua na Instituição fazia uma ronda na área externa do prédio, quando conseguiu ver o momento em que dois alunos, de 15 e 16 anos, trocavam material suspeito dentro da sala de aula.

O PM retornou e comunicou a direção sobre o fato e juntamente com outros policiais que fazem a guarda no local foram até a sala e durante uma revista foram encontrados com os dois adolescentes cinco invólucros plásticos contendo maconha. Os infratores foram convidados a sair da sala para serem ouvidos pela direção.

Um deles assumiu a responsabilidade pelas trouxinhas de entorpecentes e disse que teria comprado de um desconhecido que transitava em uma moto nas proximidades da escola. Ele também disse que a droga só foi descoberta porque duas “cabeças” do material foram entregues para o colega dentro da sala e o rapaz, em vez de guardar, preferiu manipular o produto.

Os dois menores confessaram que são usuários frequentes de drogas, mas que não fazem uso nas dependências da escola. Ambos foram conduzidos à Central de Flagrantes do 5º DP para que a autoridade policial tomasse conhecimento dos fatos e adotasse as medidas necessárias. Depois de serem ouvidos, a delegada elaborou um Boletim de Ocorrência Circunstanciado (B.O.C) dando responsabilidades aos conduzidos pelo ato infracional e, posteriormente, foram liberados.

OUTRA OCORRÊNCIA – Outro caso foi registrado às 21h20, na Escola Militarizada Irmã Maria Teresa Parodi, que fica dentro do Residencial Vila Jardim, no bairro Cidade Satélite, também zona Oeste, quando dois adolescentes, de 15 e 16 anos, foram flagrados com dois invólucros contendo substância aparentando ser cocaína e mais a quantia de R$ 260,00.

Dessa vez, um dos policiais que trabalha na Unidade de Ensino desconfiou da conduta de uma estudante e, por isso, decidiu fazer uma revista na mochila dela, momento em que os dois invólucros foram encontrados. A suspeita contou que o material pertencia a outro aluno da mesma escola e que ele havia pedido para que fosse guardado.

O aluno foi chamado para se explicar, mas não quis informar a procedência da droga. Para que o fato fosse esclarecido, uma guarnição conduziu a dupla até a Central de Flagrantes do 5o DP para ser ouvida. A autoridade policial elaborou o B.O.C contra eles, em decorrência do ato infracional praticado, e liberou os dois.

ESTADO - Em nota, a Polícia Civil confirmou que os adolescentes foram apreendidos em posse de substância aparentando ser droga ilícita em duas escolas estaduais. Após o procedimento, os adolescentes foram entregues aos familiares, que assinaram termo de compromisso para apresentá-los quando forem intimados na Justiça.

A Secretaria de Educação e Desporto (Seed) esclareceu que, através da Divisão de Psicossocial (DIPSI), realiza ações nas escolas da Capital e Interior voltadas aos professores e orientadores, com o incentivo quanto ao desenvolvimento dos projetos antidrogas, com o objetivo de envolver toda comunidade escolar no combate ao uso e venda de entorpecentes no ambiente escolar.

Por se tratar de ato eliminatório, o regimento dos colégios militarizados não permite o retorno desses alunos para a unidade de ensino. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!