CÂMARA MUNICIPAL
Ambulantes pedem ajuda de vereadores para participação no Boa Vista Junina
Associação sugeriu mudanças no Código de Postura do Município
Por Folha Web
Em 16/05/2017 às 21:00
(Foto: Alef Barros)

Com a possibilidade de ficar de fora do Boa Vista Junina, os representantes da Associação dos Vendedores Ambulantes de Roraima (Avarr) procuraram a Câmara Municipal de Boa Vista, nesta terça-feira, 16, pedindo apoio para resolver a questão.

Em reunião no plenarinho da Casa, os ambulantes reclamaram da concorrência com todos os tipos de vendedores, dos critérios e das “altas” taxas cobradas, para se colocar barracas no tradicional arraial promovido pela Prefeitura de Boa Vista, no mês de junho.

“Vivemos disso, nós precisamos dessas oportunidades. Às vezes, passamos o ano todo esperando um evento desse, para podemos trabalhar, e não conseguimos”, reclamou o vendedor Sansão Reis, presidente do Conselho Fiscal da Avarr.

A associação ainda sugeriu, aos vereadores, mudanças no Código de Postura do Município de Boa Vista, instituído pela lei municipal 018/1974.

Para a Avarr, a lei está “defasada”, o que prejudica o trabalho dos vendedores ambulantes. Um dos pontos destacados no código é a proibição da venda de bebidas alcoólicas ao consumidor, pelos ambulantes.

“A gente veio reivindicar aqui na Câmara Municipal para que os vereadores façam uma lei que dê condição para o vendedor ambulante, esse vendedor associado, que vive e trabalha somente disso”, declarou o presidente da Avarr, Reginaldo Oliveira. “Viemos procurar um direito nosso, de não perder o espaço que a gente está perdendo, que é esse espaço público”.

O vereador Pastor Jorge (PSC) se sentiu “sensibilizado” com a situação. “São pessoas que precisam, que geram a economia da nossa cidade. É preciso que a gente olhe com muito carinho para os nossos ambulantes”, disse.

O presidente da Câmara, vereador Mauricélio Fernandes (PMDB), garantiu que as reivindicações serão enviadas aos órgãos competentes no assunto, “para que os ambulantes sejam ouvidos, e que sejam solucionadas as questões que foram repassadas para a Câmara Municipal”.

Com informações da Secom-CMBV

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!