DO STF
Ângela Portela cobra agilidade no julgamento do Foro Privilegiado
Ela cita as denúncias feitas pela Operação Lava Jato, que até agora não foram julgadas pelo Supremo.
Por Folha Web
Em 29/10/2017 às 10:00

A senadora Ângela Portela (PDT-RR) cobrou mais pressa do Supremo Tribunal Federal (STF) ao julgar processos abertos contra parlamentares e outras autoridades que têm foro privilegiado.

É o caso, lembrou Ângela, das denúncias feitas pela Operação Lava Jato, que até agora não tiveram um caso sequer julgado pelo Supremo.

De acordo com Ângela, a liberação de Aécio Neves pelo Senado, após suspensão do mandato determinada pelo próprio STF, não teria acontecido se o Supremo tivesse cumprido seu papel e julgado com presteza os parlamentares federais e outras autoridades denunciadas pela Procuradoria-Geral da República.

Ângela lembrou que o Senado, já aprovou por duas vezes o fim do foro privilegiado, atendendo a demanda da sociedade, mas a emenda constitucional votada aguarda ainda ações da Câmara dos Deputados.

“Com isso, permanecem impunes crimes comuns, que nada têm a ver com os mandatos parlamentares. Entre as infrações penais comuns estão os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, por exemplo. Até agora já são 489 autoridades com processos em trâmite no STF por esse tipo de infração".

É com esse sentimento que não podemos conviver. "Ao passar à população que somos coniventes com a impunidade, desgastamos não apenas a imagem do Congresso ou a do Judiciário. Desgastamos as próprias instituições do País", advertiu Ângela Portela.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!