NO CENTRO CÍVICO
Bolsonaro elogia Sérgio Moro e faz duras críticas a Lula
Gostei (9) Não gostei (5)
“Se eu fosse ‘rei de Roraima’, em 20 anos, teríamos uma economia igual à do Japão”, disse Jair, em seu discurso
Por Pedro Barbosa
Em 12/04/2018 às 17:13
O discurso do deputado Jair Bolsonaro aconteceu por volta das 15h, na Praça do Centro Cívico de Boa Vista (Foto: Hione Nunes)

Na tarde desta quinta-feira, 12, após realizar carreata do Aeroporto Internacional de Boa Vista até a praça do Centro Cívico, o pré-candidato à Presidência da República, Jair Messias Bolsonaro, parabenizou Sérgio Moro pela prisão do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, ocorrida neste último sábado, 7.

Além disso, Bolsonaro chamou o ex-presidente de 'bandido', e afirmou que para Lula, Roraima não tinha representatividade política alguma. “Este que está preso agora, disse há alguns anos que qualquer bairro de São Paulo tem mais voz que o estado de Roraima. Não deixa de ser uma verdade, mas o respeito a todos os brasileiros têm que se fazer presente.”, declarou em seu discurso.

Bolsonaro afirmou que Roraima possui um potencial econômico único na terra, citando riquezas naturais e culturais, terras agricultáveis e áreas propícias para geração de energia solar e eólica. “Se eu fosse ‘rei de Roraima’, em 20 anos, teríamos uma economia igual à do Japão”, disse Jair.

Ainda falando sobre os governos de Lula e Dilma, Bolsonaro afirmou que eles separaram a nação, o que teria desencadeado em disputas diversas, como índios contra brancos, pais contra filhos, homossexuais contra héteros, entre outras.

“Todos nós queremos ordem e disciplina, para alcançar o desenvolvimento. Precisamos de uma pessoa honesta, temedora de Deus e, acima de tudo, patriota”, ressaltou.

Ao longo de seu discurso, Jair falou sobre a Bolívia, que, segundo ele, é um povo unido, com índios participando ativamente na política e economia. E propôs a união com índios e imigrantes, para que sirvam de mão de obra para o crescimento econômico nacional.

Sobre a crise migratória de venezuelanos no estado, Bolsonaro afirmou que Roraima precisa de um campo de refugiados, para receber abertamente os imigrantes. Ele não deu mais detalhes sobre como o campo funcionaria, mas terminou seu discurso afirmando que a ditadura venezuelana teve grande apoio por parte de Lula e Dilma.

Gabriel disse: Em 13/04/2018 às 08:24:06

"Ele tá há 20 anos no poder, nunca fez nada. Com certeza, não faria nada se fosse 'rei de Roraima' rs"

n@n@ disse: Em 12/04/2018 às 20:40:14

""Alea jacta est"...."

Natal Altair disse: Em 12/04/2018 às 20:01:27

" Roraimense de sangue ou por adoção, atento aos acontecimentos ruins para Roraima na era PSDB/PT deve aplaudir Bolsonaro pela importância que ele dá ao ente federativo com pouca densidade eleitoral, no entanto, rico em minérios, dentre esses, o nióbio, o qual se explorado de forma sustentável poderá nos tirar da pobreza que sujeita-nos a vivermos dependentes da União."