UNIFORME RUBRO-NEGRO
Botonista Marlon Souto vai defender o Flamengo
Por Ribamar Rocha
Em 09/01/2018 às 00:23
Marlon é amazonense e está em Roraima desde 2012 (Foto: Divulgação)

O botonista (jogador de futebol de mesa) Marlon Souto Maior, de 42 anos, foi convidado a vestir o uniforme rubro-negro e compor o elenco do Flamengo, do Rio de janeiro, nas competições estaduais e nacionais deste ano da modalidade. Segundo Marlon, o convite veio no último dia de 2017, feito pelo diretor do Departamento de Futebol de mesa do Flamengo, Christofer Barres. Pelo Mengão, Marlon vai disputar as seis etapas do Campeonato Carioca, a Taça Guanabara, Taça Rio de Equipes e o Campeonato Brasileiro de Equipes, segundo divulgou A Crítica, de Manaus, e confirmada à Folha pelo botonista que mora em Boa Vista dede 2012 e está filiado à Federação Amazonense de Futebol de Mesa.

“Fiquei surpreso com o convite, mas sabia que à medida que o futebol de mesa amazonense fosse evoluindo, um de nós teria essa oportunidade. Então, pra mim, é um reconhecimento da qualidade do futebol de mesa praticado em Manaus”, destaca Marlon, que começa 2018 com muita felicidade. “Vou poder dizer aos meus filhos que defendi oficialmente meu clube do coração”, afirma.

Marlon começou a jogar futebol de mesa em 1986, com 11 anos, porém sua trajetória até chegar ao Flamengo começou recentemente, quando decidiu participar e se destacar em torneios nacionais, já morando em Roraima. Na Copa do Brasil de 2016, em Londrina-PR, Marlon enfrentou Christofer na 1ª fase, e fez um jogo duro perdendo por 4 a 5.

Já na 2ª fase do Brasileiro de 2017, em Caruaru-PE, Marlon enfrentou Christofer novamente e, dessa vez, o amazonense venceu por 6 a 3. “Na ocasião, conversamos brevemente, ele elogiou meu jogo, principalmente pelo fato de eu ter derrotado, na rodada anterior, o Robertinho, atleta considerado o Pelé do futmesa, campeão mundial, hexacampeão da Copa do Brasil e Pentacampeão brasileiro”, disse.

Christofer Barres, que é também diretor da modalidade de 12 toques da Federação do Rio de janeiro, falou para A Crítica, sobre como chegou ao nome de Marlon para a equipe do Flamengo. “Quando jogamos, Marlon me surpreendeu, e comentou que era flamenguista. Percebi que ele tinha potencial e, no final do ano, com o projeto de trazer jogadores de fora para a equipe, pensei no seu nome na hora e entrei em contato com ele, que prontamente respondeu. Ele é muito humilde, grato ao que tem no futmesa, e falou que seria uma honra vir para o Flamengo, e eu fiquei muito feliz porque contamos com um jogador muito bom e promissor”, declarou.

Marlon é natural do Amazonas e mora em Roraima há seis anos e viaja com frequência à Manaus para participar dos campeonatos manauras, já que em Roraima a prática do futebol de mesa, 12 toques, está apenas começando, e por isso Marlon continuou vinculado à Federação Amazonense e só agora fez sua transferência para a Federação do Rio, e já se organiza para ir aos campeonatos na cidade maravilhosa, sem que eles atrapalhem sua rotina.

“Vou continuar minha maratona de treinos em Roraima e como as competições são sempre nos fins de semana, pretendo ir na sexta após o expediente de trabalho e voltar no domingo mesmo, logo após concluída a competição”, disse.

O Flamengo ajudará com alguns custos da viagem possa ir ao Rio jogar os campeonatos planejados para o ano e 2018.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!