MEDICAMENTOS
CRF alerta sobre consumo de remédios importados sem certificação da Anvisa
Por Paola Carvalho
Em 19/05/2017 às 01:17
Na noite de segunda-feira, PRF apreendeu mais de 200 medicamentos oriundos da Venezuela (Foto: Divulgação/PRF)

Por estar localizado nas fronteiras com a Venezuela e Guiana, Roraima vira rota de passagem de materiais ilícitos, como medicamentos importados sem o certificado da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Na noite de segunda-feira, uma ação da Polícia Rodoviária Federal em Roraima (PRF/RR), na BR-174, resultou na prisão de um homem e na apreensão de mais de 200 remédios.

Para alertar a população sobre a prática, o Conselho Regional de Farmácia de Roraima (CRF/RR) orienta que os consumidores tenham ciência da origem dos medicamentos antes da compra. “O que a gente recomenda à população é se certificar de que esse medicamento é de origem nacional, porque esses produtos com origem de descaminho podem ser falsificados”, informou o presidente do CRF/RR, Adônis Motta.

Segundo ele, a população deve ter um cuidado ainda maior com relação aos medicamentos de emagrecimento e de estimulação sexual, que recebem o maior número de denúncias de falsificação. “Se o medicamento nacional registrado já pode provocar efeitos colaterais dentro do nosso organismo, imagina um falsificado, um ilegal. Isso pode trazer sérios danos à saúde da população”, salientou Motta.

Outro problema são os remédios psicotrópicos, ou seja, os medicamentos controlados. “O comércio ilegal dos fármacos controlados pode resultar em prisão, com pena de 18 anos. É equivalente ao tráfico de drogas”, esclareceu.

AUTOMEDICAÇÃO - Outra recomendação é em relação à automedicação e a procura de um profissional de saúde. Conforme o presidente, dados do Conselho Regional mostram que cerca de 30% a 40% dos pacientes em Roraima são internados pelo uso irracional dos medicamentos, que engloba tanto os nacionais e importados.

“A gente orienta a população a não se automedicar, procurar o profissional de saúde antes de tomar o medicamento. Nas farmácias, hoje, a população pode contar com a presença do farmacêutico, que está capacitado para isso”, frisou Motta.

APREENSÃO - A PRF prendeu um homem com 214 unidades de medicamentos estrangeiros sem o registro da Anvisa, por volta das 21h de segunda-feira, 15, enquanto realizava uma blitz no quilômetro 491 da BR-174, em Boa Vista.

Segundo a PRF, os agentes do Grupo de Fiscalização de Trânsito (GFT/RR) faziam uma fiscalização em transportes coletivos quando resolveram parar um ônibus que vinha de Pacaraima que seguia para Manaus (AM).

“Após a devida fiscalização, foi encontrado um homem transportando os medicamentos de forma irregular. Ele informou aos policiais que os remédios foram comprados em Santa Elena de Uiarén, na Venezuela, que pertenciam à sua mãe e que o objetivo era levá-los para Manaus. Porém, o homem não soube dizer qual era a finalidade dos medicamentos”, informou a PRF. O homem foi preso e levado à Superintendência da PF para a adoção de medidas legais. (P.C.)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!