BAIXO RIO BRANCO
Caravana do Povo percorre comunidades nos rios Negro e Jauaperi
Em sete dias, a Caravana do Povo no Baixo Rio Branco já realizou 2.480 atendimentos em diversas áreas
Por Folha Web
Em 11/11/2017 às 14:00

Por onde quer que se olhe, a água de tom escuro toma conta da paisagem. De um lado, Roraima, do outro, Amazonas.

No meio, o rio Negro é a estrada que leva a embarcação da Caravana do Povo para a comunidade de Remanso, de onde, no pé do barranco, sentado na escadaria que leva até as casas quase 10 metros acima, seu Ozias, aos 93 anos, observa a chegada da equipe que leva saúde e desenvolvimento para os ribeirinhos.

“Cheguei aqui há 70 anos. Não tinha ninguém. Plantei essas seringueiras que foram de onde tirei o sustento de minha família. Fico feliz com a chegada de vocês para ajudar nossa comunidade”, disse.

Em sete dias, a Caravana do Povo no Baixo Rio Branco já realizou 2.480 atendimentos em diversas áreas. Cinco médicos integram a comitiva: oftalmologista, clínico geral, pediatra, ginecologista e cardiologista. Ainda na área de saúde é realizado o exame de preventivo, entrega de medicamentos, atualização da caderneta de vacina e teste de malária.

“A saúde é uma das áreas mais solicitadas pela população ribeirinha, e quando chegamos numa comunidade os moradores logo nos procuram em busca dos serviços que levamos. Eles ficam bastante satisfeitos e agradecidos por receberem o atendimento em casa, sem a necessidade de se deslocar para a cidade”, disse Tony Pinheiro, coordenador dos atendimentos de saúde na Caravana.

RECREIO PARA BARCELOS – Em Panacarica, comunidade no encontro entre os rios Branco, de Roraima, e Negro, do Amazonas, José, de 58 anos, aguarda o Recreio para Barcelos, município amazonense. Recreio é o nome da enorme embarcação onde costumam viajar centenas de pessoas, e muita, muita mercadoria.

Enquanto aguardava para embarcar a produção de banana, jerimum, pimenta, entre outras frutas e verduras, ele fez o cadastro no Balcão de Ferramentas, e foi atendido pelo médico, junto com a esposa. “Fiquei muito satisfeito. Ainda por cima porque ganhei todo esse equipamento para ajudar no trabalho na minha lavoura”, disse o agricultor, após receber um dos kits entregues durante a Caravana, com um carro de mão, facão, plantador, cavador e bomba costal.

NOITE NA FLORESTA – No Paranã de Floresta, um dos braços do rio Negro, fica a comunidade de Floresta, que teve uma noite diferente das outras. Era por volta de 19h de quarta-feira, 8, quando a Caravana do Povo chegou. Um dos primeiros atendimentos foi a aplicação de vacina.

RIO JAUAPERI – O percurso pelas comunidades localizadas ao longo do rio Jauaperi, no município de Rorainópolis, começou na quinta-feira, 9. Em Bela Vista, vivem menos de 10 famílias, que, entre os atendimentos ofertados, fizeram cadastro nos programas Balcão de Ferramentas e Crédito do Povo.

Rodrigo Barroso, 47 anos, foi um deles. “Quero investir na agricultura, porque estamos enfrentando dificuldades com a pesca, e com o Balcão, temos esperança de conseguir”, comentou.

 A embarcação ainda segue viagem pelas demais comunidades ao longo do Jauaperi, e ainda irá visitar outras no rio Branco. “Permanecemos na localidade até a última pessoa ser atendida. Atendemos a todos que nos procuram. É uma forma de levar o Governo do Estado para mais perto da população ribeirinha”, finalizou Gil Barbosa, um dos coordenadores da viagem.

 

concurseiro disse: Em 28/11/2017 às 06:10:31

"o correto é ter posto de saúde e médico morando lá, escolas e posto policial, não ir em véspera de eleição fazer campanha política com puxa sacos atrás "