COMBATE À VIOLÊNCIA
Casa da Mulher Brasileira será entregue no fim de março
O prédio localizado no bairro São Vicente está previsto para ser entregue no dia 22
Por Paola Carvalho
Em 09/03/2018 às 01:35
A governadora do Estado, Suely Campos, afirmou que a CMB atenderá às mulheres vítimas de violência e oferecerá serviços de prevenção, para evitar que casos similares voltem a ocorrer (Foto: Hione Nunes)

A população feminina do Estado poderá contar com os benefícios da Casa da Mulher Brasileira no final do mês de março. O prédio está previsto para ser entregue daqui a duas semanas, na quinta-feira, 22.

Em cerimônia em homenagem à mulher realizada na manhã de ontem, 8, a governadora Suely Campos (PP) anunciou a entrega da obra, além de outras políticas voltadas para o público feminino, como o lançamento da cartilha “Diga Não à Violência Contra a Mulher”, da Secretaria de Segurança Pública.

A Casa da Mulher Brasileira fica localizada na Rua Uraricoera, no bairro São Vicente, e tem um espaço projetado de três mil metros quadrados. A expectativa é auxiliar aproximadamente 15 mil mulheres por mês, com prestação de serviços, atendimentos humanizados e fornecendo um espaço de acolhimento para mulheres e seus filhos por até 48 horas.

De acordo com a governadora, a Casa da Mulher Brasileira será um espaço voltado para a mulher fragilizada, vítima de violência. “Este local vai ser composto por vários órgãos de ajuda à mulher, como delegacias, Ministério Público, Defensoria Pública, enfim, toda a assistência que a mulher vítima de agressão precisa receber”, frisou.

Suely disse ainda que serão realizados trabalhos preventivos para que os atos de violências contra as mulheres ocorram cada vez menos. “É lamentável que a gente ainda conviva com a violência contra a mulher, com o assédio moral e sexual, nos locais de trabalho. São lutas que ainda estamos travando para diminuir, para minimizar os índices”, pontuou.

A titular da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes), Emília Campos, lembrou que a Casa da Mulher Brasileira em Roraima será a única da Região Norte. “É um marco histórico para todas as mulheres. Vamos ter daqui para frente um instrumento muito importante para avançar. A nossa expectativa é atender a sociedade e trazer mais eficiência no combate à violência contra a mulher”, informou.

CASA DA MULHER BRASILEIRA – Projeto desenvolvido por meio da parceria entre Governo do Estado e Governo Federal, com o objetivo de combater a violência contra a mulher em Roraima. (P.C)

Sesp lança cartilha “Diga Não à Violência Contra a Mulher”

Ainda durante a cerimônia de homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a titular da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), delegada Giuliana Castro, lançou a cartilha “Diga Não à Violência Contra a Mulher”.

O informativo contém dados sobre o índice de agressões contra a mulher no país e em Roraima, além de questionamentos para que as mulheres possam identificar se estão em um relacionamento abusivo ou sendo vítimas de violência. A cartilha explica ainda os tipos de violência contra a mulher em diferentes níveis, do tipo físico, sexual e psicológico; seja ele no ambiente familiar ou de trabalho.

A versão impressa da cartilha será distribuída em todas as secretarias do Estado para acesso das servidoras e da população, além de ser distribuída digitalmente por meio do Portal do Governo no endereço www.portal.rr.gov.br da página da Sesp, nas redes sociais e em grupos de WhatsApp.

Conforme Giuliana, o objetivo é atender o maior número de mulheres possível. “Nós estaremos distribuindo de forma digital para que todas as mulheres possam ter acesso a esses dados, que possam fazer o download de dados e compartilhar essas informações com suas amigas, vizinhas. Queremos continuar o enfrentamento à violência e lutar pelo empoderamento das mulheres”, frisou. (P.C.)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!