SAÚDE ESTADUAL
Cerca de 30 pacientes serão operados em mutirão de cirurgias no HGR
Em parceria com instituto do Rio de Janeiro, pacientes que estão na fila do TFD serão operados sem sair do Estado
Por Folha Web
Em 06/03/2017 às 08:00
Dos 60 pacientes pré-selecionados, 30 já passam por cirurgia a partir de hoje (Foto: Divulgação/Secom Gov)

Por meio de uma parceria com o Instituto de Ortopedia e Traumatologia (Into) do Rio de Janeiro, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) iniciará a partir desta segunda-feira, 06, uma série de cirurgias ortopédicas de alta complexidade no Hospital Geral de Roraima (HGR). A medida vai beneficiar diretamente 30 pacientes do Estado.

Na tarde de ontem, 05, houve a realização de uma avaliação com cerca de 60 pacientes, onde a metade foi selecionada para as cirurgias, que serão realizadas por 16 profissionais do Into, os quais trazem ainda os materiais necessários para os procedimentos.

Por outro lado, o Governo do Estado entra com todo o suporte e apoio logístico. Com três salas cirúrgicas e 12 leitos reservados, o HGR está pronto para receber a equipe que vai realizar as cirurgias. Além disso, consultórios foram destinados para as avaliações dos pacientes.

Segundo o coordenador do Projeto Suporte do Into, José Luiz Ramalho, todos os 60 pacientes que estão cadastrados na Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade (CNRAC), desde 2013, foram pré-selecionados. Destes, serão selecionados 30 para cirurgia neste mutirão. “Selecionamos os pacientes com perfil para serem operados em esquema de mutirão. Isso será extremamente benéfico para eles, que poderão ser operados sem sair do Estado”, explicou.

Ele explica ainda que a demanda reprimida pelo procedimento se deve à alta demanda por estes procedimentos em todo o país. Poucos hospitais do Brasil realizam este procedimento, em razão do alto custo e praticamente toda a demanda é encaminhada para o Into, no Rio de Janeiro.

A coordenadora geral de Regulação da Sesau, Maria Lúcia de Lucena, ressalta que estão previstos outros mutirões ainda neste ano, por meio dos quais será reduzida significativamente a fila de espera que se forma desde 2013.

“Os pacientes que não forem operados agora devem ficar tranquilos, pois estão previstos de três a quatro mutirões ainda neste ano, além dos TFDs que continuarão sendo providenciados, de acordo com a disponibilidade de vagas fora do Estado”, informou.

O Into, que é referência nacional e está entre os melhores do mundo em ortopedia, irá realizar procedimentos como a implantação de próteses totais de joelho e quadril. O maior benefício é que estas pessoas, em sua maioria idosas e com dificuldade de mobilidade, serão operadas e se recuperarão com mais humanização. “Existem muito critérios para concessão de TFDs e muitos tratamentos deixam de ser concedidos pela falta de um acompanhante. Com este mutirão, casos como estes são resolvidos”, explicou Lúcia.  

ECONOMIA

Com o mutirão no Estado, o governo deixará de enviar estes pacientes para Tratamento Fora de Domicílio (TFD), gerando uma economia considerável. Se todos fossem encaminhados para fora do Estado, geraria um custo de R$ 450 a R$ 600 mil para atender a esta demanda.

A ação integra o Projeto Suporte, do Into, para levar profissionais especializados e promover cirurgias pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em locais com baixa oferta de serviços na área de traumatologia e ortopedia, como é o caso de Roraima. O convênio estava inoperante desde 2012 e foi retomado em setembro do ano passado.

Com informações do Governo do Estado.

Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!