NO DISTRITO INDUSTRIAL
Com sinais de execução, corpo de ex-detento é encontrado
Gostei (0) Não gostei (0)
Romantieser Gideão Furtado Jorge, conhecido como “Boneco” foi preso em 2014 por envolvimento com tráfico de drogas
Por João Barros
Em 13/03/2018 às 00:29
O corpo com sinais de execução foi identificado como sendo de Romantieser Gideão Furtado Jorge (Foto: Divulgação)

Um corpo, identificado como sendo do ex-presidiário Romantieser Gideão Furtado Jorge, de 25 anos, conhecido pela alcunha de “Boneco” foi encontrado por populares na tarde de ontem, dia 12, no fim da Rua Dil, no Jardim das Copaíbas. Possivelmente o crime tenha ocorrido na noite de domingo, dia 11. Os olhos, a língua e os lábios da vítima já tinham sido devorados pelos urubus. O caminho para chegar ao lugar onde o cadáver estava é de difícil acesso e distante cerca de cinco quilômetros do bairro Governador Aquilino Mota, onde fica o Distrito Industrial, na zona sul de Boa Vista. A estrada fica à margem do Rio Branco.

De acordo com as informações da Polícia Militar, a guarnição da VTR 632, do 2º Batalhão da PM, foi acionada via Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) para dar apoio a um agente de Polícia Civil, que informou que dois homens haviam chegado ao 5o DP afirmando que tinham encontrado um corpo.

Os dois informantes disseram aos militares que os levariam até o local e, assim que chegaram, os policiais constataram a veracidade dos fatos. Quando questionados sobre como conseguiram encontrar o corpo, os denunciantes relataram que no domingo passaram a tarde inteira alimentando o pesqueiro para retornar na segunda para fazer a pesca, mas que ao chegarem às 14h encontraram o cadáver e no mesmo instante foram acionar a Polícia.

O corpo estava bastante desfigurado, com cortes no pescoço, joelho, barriga, coxa, dentre outras partes que estavam cobertas pela camisa clara com linhas de cor avermelhada e um short preto. As pernas estavam amarradas com uma corda. A perícia e o rabecão do Instituto de Medicina Legal (IML) também foram acionados. Ao fim dos procedimentos técnicos realizados pelos peritos, o corpo foi removido. No local ficaram apenas as marcas de sangue.

Por causa de uma tatuagem de carpa, na perna direita, e por conta das impressões digitais que foram comparadas com as do prontuário do Instituto de Identificação, o indivíduo foi identificado.

O IML informou que nesta terça-feira, dia 13, será realizado o exame cadavérico para atestar as causas da morte. As investigações ficarão a cargo da Delegacia-Geral de Homicídios (DGH) que enviou agentes para o local dos fatos, a fim de que tentem chegar aos criminosos que supostamente são integrantes do crime organizado.

FICHA CRIMINAL – A Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) também contribuiu diretamente com o processo de identificação. A Divisão informou que está auxiliando os órgãos policiais, inclusive no processo de identificação de cadáveres por meio do sistema próprio, batizado de Canaimé, que faz o registro das tatuagens e das fotografias dos detentos. Com o sistema é possível armazenar as características dos indivíduos e nas abordagens em via pública, por exemplo, confirmar a identificação.

A Dicap informou que Romantieser tinha um histórico de ser membro de facção, mas não deu detalhes. Ele deu entrada na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc) pela primeira vez no dia 11 de janeiro de 2014 por tráfico de drogas. Quatro dias depois de ser preso, teve a prisão em flagrante convertida em Prisão Preventiva. Acabou recebendo Alvará de Soltura no dia 11 de Abril de 2014 pelo fato da Prisão Preventiva ter sido revogada. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!