INFORME PUBLICITÁRIO
Comissão Externa da Crise de Imigração Venezuelana convoca população para reunião conjunta na ALE
A medida tem como objetivo analisar o impacto socioeconômico no estado
Por Folha Web
Em 14/05/2018 às 08:17
Objetivo é analisar o impacto socioeconômico no estado

Em parceria com a deputada Estadual Ângela Águida Portella (PSC), o Coordenador da Comissão Externa da Crise Venezuelana, deputado Federal Carlos Andrade (PHS), promove no próximo dia 18, uma reunião conjunta na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) com o intuito de avaliar os impactos da imigração venezuelana no estado.

A sessão será aberta ao público e espera-se reunir cerca de 400 pessoas, dentre elas 60 autoridades como Deputados Federais, Estaduais, representantes dos poderes Executivo e Judiciário, entidades internacionais, representantes de Associações e lideranças religiosas. Ao final da sessão, será encaminhado um relatório para avaliação da Comissão Externa da Câmara dos Deputados.

CENÁRIO ATUAL - Na contabilidade oficial do Comitê para a Imigração Venezuelana, formado pelo Poder Executivo em Brasília, o número oficial de venezuelanos que já adentraram o país somam 40 mil pessoas mas, com a entrada de mais de 300 pessoas por dia desde 2016, já calcula-se um mínimo de 100 mil estrangeiros, o que representa 20% de toda a população do estado. “Estou muito preocupado com o cenário que está se desenhando. Claro que compreendemos que é uma questão humanitária e buscamos ajudar a essa população que chega no Brasil faminta e doente, em busca de um recomeço. Mas não podemos simplesmente esquecer que a população do estado de Roraima também está sofrendo muito com essa situação, por diversos fatores, sobretudo, com o aumento significativo da criminalidade”, relata o parlamentar.

Nos três primeiros meses desse ano, a apreensão de armas cresceu mais de 70% no primeiro trimestre desse ano em relação ao ano passado. “A Polícia Civil do estado já atribui esse índice diretamente à questão da imigração venezuelana. Por meio deles, está entrando grande quantidade de armamento e, diante de um cenário de fome e doença, as pessoas perdem o controle”, lamenta Andrade. Além do aumento da criminalidade, a prostituição tomou conta das ruas das cidades do estado: “essas moças são conhecidas como as ‘oitchentas”, devido ao valor cobrado por elas. São jovens que perderam totalmente a dignidade, muitas são menores de idade, e temos relatos de que estão sofrendo violências de todo tipo. É uma realidade muito triste e o Estado precisa tomar uma atitude profícua em relação a isso”, afirma Andrade.

A saúde pública também foi afetada com a imigração: a Secretaria de Saúde do estado já declarou que existe uma epidemia de sarampo na região, doença que já tinha sido erradicada em Roraima. “Já foram confirmados 83 casos da doença e outros 187 casos estão sendo investigados”, revela o Deputado.

A Comissão Externa da Câmara foi requerida pelo parlamentar Carlos Andrade em outubro de 2016, quando a crise ainda era incipiente. Somente um ano e meio depois que o requerimento foi aprovado para que agora, no início de 2018, conseguisse iniciar os trabalhos efetivamente. Formado por nove membros, oito da bancada de Roraima e um parlamentar convidado de outro estado, o colegiado tem como objetivo principal colocar em prática um dos papéis do Poder Legislativo, que é fiscalizar a ação do Executivo, exigindo rapidez nas ações, eficiência e transparência. “Essa situação exige a união dos governos de todas as instâncias, da iniciativa privada e da sociedade civil organizada. Estamos aqui para ajudar a conduzir essa situação dramática e alcançarmos um objetivo comum: o bem-estar dos brasileiros mas também sem deixar de lado o nosso lado humano, oferecendo o mínimo de apoio àqueles que estão precisando de ajuda nesse momento difícil”, finaliza.

*INFORMAÇÕES: Assessoria Parlamentar.

Manuel disse: Em 14/05/2018 às 14:16:36

"A Venezuela esta no Mercosul? A Venezuela é um pais e um povo que respeita o nosso? É um povo educado e civilizado? É um povo que seus governantes honraram com suas dívidas de empréstimos vultosos de apadrinhamento dos governantes anteriores? Não pertence ao Mercosul por não respeitarem os direitos humanos Matam seus oponentes políticos. Não respeitaram, não respeitam e não respeitaram visto o que fizeram aos nossos irmãos matando-os com moto serra com requintes de extrema crueldade. Não é um povo educado são estúpidos embora que um tanto disfarçados atras de crianças e mulheres. Não horam com suas dividas antes preferem mantelas quitadas com os países comunistas. Se é para ajudar que o façamos com envio de material de doação em seu próprio pais. Consultar a população nãda demonstra senão falta de capacidade de fazer o que é certo e parar de roubar o povo Brasileiro para envistimento sem futuro algum."

Rildo Lopes disse: Em 14/05/2018 às 10:14:06

"Todos os quantitativos estão errados, antes não era realizado o cadastro, e sem contar com aqueles que ainda entram pelas trilhas fora da fiscalização. Talvez o mundo ou o próprio Brasil, so enxergue Roraima quando a situação for igual ao País Venezuelano."