COMPETIÇÃO
Comunidade Três Corações sediará primeira edição dos Jogos indígenas de Amajari
Por Folha Web
Em 14/03/2018 às 00:14
Rayane é a coordenadora-geral dos Jogos Indígenas

Na próxima sexta-feira, 16, cerca de 500 atletas dos povos Yanomami, Macuxi, Wapichana, Sapara,Tauperang, Tuxaua e Raposa Serra do Sol, representando 19 comunidades indígenas, se reúnem na comunidade Três Corações, para as disputas da primeira edição dos Jogos Indígenas de Amajari. 

A competição é uma forma de valorizar e resgatar o esporte dos povos indígenas roraimenses, criando oportunidades para que eles possam divulgar e promover sua cultura. Os indígenas-atletas competirão em 11 modalidades esportivas, tradicionais e olímpicas, com objetivo maior de demonstrar a confraternização entres as aldeias.

De acordo com a coordenadora-geral dos Jogos, Rayane Parkatejê, a ideia principal é promover a integração entre os povos participantes com a sociedade local. “Promovendo e disseminando a cultura, além de fortalecer o respeito, valorização da diferença reconhecendo o direito à igualdade, além de promover a prática de esporte nas comunidades, preservando modalidades esportivas tradicionais e incentivar a prática de modalidades olímpicas”, destacou.

Responsável pelo projeto dos Jogos, Rayane conta que diante da falta de recursos da Prefeitura de Amajari, para que o evento saísse do papel, foi em busca de recursos externos e com contribuições captadas por meio do Ministério do Esporte, foi possível organizar a competição.

“Com esses recursos, organizamos o evento, onde os indígenas de Roraima viverão a experiência de participar de uma competição oficial, dentro da sua própria comunidade. Será construída uma arena com 12 ocas tradicionais para alojar os atletas indígenas que irão se deslocar de suas aldeias de origem para a comunidade Três Corações, lar do povo macuxi, que será sede do evento”, explicou.

Os atletas indígenas contarão com o fornecimento de todos os materiais esportivos, que servirão após a competição, para a prática regular de esportes tradicionais e olímpicos, contribuindo na formação de futuros atletas.

Durante a competição, além da hospedagem e alimentação, serão estendidos aos atletas, serviços de cidadania, atendimento de saúde e social e uma extensa programação cultural, exposição e vendas de artesanatos e pinturas corporais para os atletas e visitantes do evento.

“O esporte sempre fez parte da cultura indígena. Do contato com a natureza, das atividades do cotidiano e do próprio espírito guerreiro que caracterizam essas etnias, nasceram modalidades esportivas peculiares, só encontradas entre esses povos. Do contato com a cultura ocidental, os indígenas incorporaram às suas tradições outras modalidades esportivas. Assim, as etnias passaram a praticar esportes populares da cultura ocidental, mas sem deixar de praticar as modalidades tradicionais de seus povos. Essa fusão cultural, proporcionada pelo esporte, torna ainda mais atraente e empolgante as competições entre esses povos”, explicou Rayane.

Roraima é um dos Estados com mais áreas demarcadas como indígenas do Brasil. A Terra Indígena Yanomami abriga a maior população indígena do Brasil, com 29,7 mil indígenas, correspondendo a 5% do total de indígenas do país. Em segundo vem a Terra Indígena Raposa Serra do Sol, com 17 mil indígenas.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!