OTOPLASTIA
Conheça a cirurgia plástica que corrige as orelhas de abano
Procedimento pode ser feito a partir dos doze anos de idade
Por Folha Web
Em 08/09/2017 às 00:25
A Otoplastia é usada para indicar a correção de orelhas de abano

Em geral, a Otoplastia é usada para indicar a correção de orelhas de abano, porém outros problemas como sequelas de traumas, ausência congênita das orelhas e orelhas constritas também são tratadas com técnicas de otoplastia.

De acordo com o médico otorrinolaringologista Mauro Shimitz, a Orelha de abano é quando as orelhas têm projeção para frente da pessoa, pode ser de um lado ou as duas orelhas.

As correções de orelha são realizadas para minimizar deformidades, tentar corrigir assimetrias de forma, tamanho e angulação no caso do abano, em orelhas mal formadas de nascença ou que sofreram deformidades após um traumatismo. Deve ser considerada como reparadora, quando tenta corrigir um defeito, e ao mesmo tempo estética, pensando-se na busca pela harmonia de forma, volume e posição.

“O tratamento pode ser feito a partir de doze anos, após o exame físico da criança, impedindo que ela passe por constrangimentos e melhorando sua autoestima. Nessa faixa etária já houve finalização do crescimento das orelhas, de modo que a cirurgia não irá interferir nesse processo", explica.

Na correção do abano, a posição das orelhas é corrigida de imediato e é perceptível a diferença com o pré-operatório logo após a cirurgia. “Em quinze dias já estará bem mais desinchado, e vai desinchando até seis meses, quando o resultado será o definitivo”.

A infecção de ouvido contraindica a cirurgia, pois a proximidade com o local que será operado faz com que haja maior risco de infecção na ferida ou na cartilagem da orelha, o que pode comprometer gravemente o resultado final e, em casos mais graves de condricte (infecção na cartilagem), pode ocorrer o surgimento de novas deformidades de difícil correção.

Infecções em outros locais também são contra indicações para o procedimento, tais como gripes mais intensas, infecções urinarias, amigdalites. A presença de doenças de base mal controladas, como hipertensão e diabetes, são contra-indicações para qualquer procedimento plástico, devendo essas doenças ser controladas antes da otoplastia.

O tabagismo é uma contra-indicação relativa, o paciente é aconselhado a deixar de fumar por duas semanas antes e 30 dias após a cirurgia, devido ao risco de afetar a cicatrização.

Para a realização de qualquer cirurgia plástica é necessário que o paciente esteja no seu melhor estado geral, ou seja, em boas condições de saúde, sem a presença de infecções de qualquer tipo.

Volta às atividades normais e exercícios físicos

Em crianças, dependendo do tipo de correção na orelha e se houver maior inchaço, recomenda-se aguardar uma semana para voltar à escola, para evitar o risco de trauma nas orelhas recém-operadas. Nos casos mais simples, pode-se retornar às aulas em três dias. Nos adultos, geralmente em dois dias. Atividade física deverá ser leve no início, evitando-se trauma no local operado.

Cicatrizes

Nas cirurgias de correção de abano, as cicatrizes ficam escondidas na parte posterior da orelha, na junção da orelha ao crânio. Há casos que necessitam incisões na parte da frente da orelha, mas procura-se escondê-las nas dobras naturais da pele. A cicatriz chamada de queloide, esteticamente desfavorável, pode ocorrer em alguns pacientes.

Lucky disse: Em 11/09/2017 às 08:38:38

"As cirurgias são feitas apenas por clínicas particulares ou podem ser feitas pelo sus também?"