AUTOMEDICAÇÃO
Conselho Regional de Farmácia alerta para o uso seguro de medicamentos
Dados do Sistema Nacional de Informações Toxicológicas revelam que a cada hora, três em cada dez brasileiros têm problemas de saúde por conta da automedicação
Por Folha Web
Em 06/05/2017 às 00:26

O Conselho Regional de Farmácia (CRF-RR), junto às demais unidades federativas do País, aderiu à campanha do Dia Nacional pelo Uso Racional de Medicamentos, celebrado nesta sexta-feira, 05 de maio.

O objetivo é promover o uso adequado e com responsabilidade dos medicamentos, evitando práticas que podem desencadear problemas severos de saúde como o agravo de doenças, a perda da eficácia dos remédios e outras situações, como a dependência, intoxicação e até a morte.

Para o presidente do Conselho de Farmácia em Roraima, Adônis Motta, o ideal é que após se consultar com um médico, o paciente siga as orientações do profissional farmacêutico, de acordo com o que é recomendado na receita.

“Todos os conselhos do Brasil estão aderindo à campanha para defender que o paciente siga com as orientações do profissional farmacêutico quando for adquirir os medicamentos. É de extrema importância”, reforçou Adônis.

“O farmacêutico tem um papel na promoção do uso seguro de medicamentos e pode dar o suporte técnico, na atuação da farmácia clínica, no apoio à elaboração de protocolos clínicos. O profissional também precisa ter participação no acompanhamento do paciente quanto ao uso da dosagem prescrita. Então, se todos criarmos essa conscientização, diminuiremos esse índice. O dia 5 de maio é uma data para lembrar disso, mas precisamos absorver esse conceito no dia a dia”, explicou Motta.

O conselheiro federal, Erlândson Uchôa, ressaltou que a questão do uso irresponsável de medicamentos é um dos grandes problemas de saúde pública que a sociedade precisa enfrentar.   Uchôa esclareceu ainda que o órgão atua continuamente na fiscalização de denúncias e que age para manter a segurança da população.

“Assistimos reajustes de preços em medicamentos de uso contínuo, denúncias de falsificação em sites de vendas e a automedicação da saúde pública. Nosso papel sempre será combater as más práticas, visando sempre o bem-estar da população”, destacou.

DADOS – De todos os casos registrados anualmente pelo Sistema Nacional de Informações Toxicológicas (Sinitox), a automedicação é elencada como o principal problema. Conforme o Sinitox, por hora, três a cada dez brasileiros se intoxicam com medicamentos.

Segundo a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), 50% de todos os medicamentos são incorretamente dispensados, vendidos e mais da metade dos pacientes consomem incorretamente. O custo estimado aos erros de medicação é em torno de US$ 42 bilhões por ano ou quase 1% do total das despesas de saúde globais.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!