GINÁSIO
Totozão passa por reformas
Gostei (0) Não gostei (0)
Segundo informações obtidas pela FolhaWeb, o prédio estaria sendo preparado para receber competições do jogos escolares
Por Minervaldo Lopes
Em 17/05/2018 às 13:27
Reformas no Totozão seria no intuito de preparar o local para os jogos escolares (Foto: Diane Sampaio)

Publicada em 13h27; Atualizada às 15h48

Após anos sem receber nenhum tipo de melhoria, o Ginásio Poliesportivo Vicente Feola, o "Totozão", começou a ser reformado por uma equipe de 20 pessoas contratadas pela Secretaria Estadual de Educação e Desporto (Seed).

De acordo com as primeiras informações obtidas pela FolhaWeb, toda a dependência estaria sendo preparada para receber competições do Jogos Escolares. As melhorias incluem substituição dos pisos de madeira e concreto e adequações em vestiários.

Localizado em frente ao Complexo Ayrton Senna, no bairro Aeroporto, zona Norte, o local já foi palco de importantes eventos esportivos, incluindo competições internacionais. No entanto, desde o fim de 2011 não recebia nenhum tipo de reforma.

Ainda segundo segundo os trabalhadores, a previsão é de que os trabalhos sejam concluídos em 90 dias. A reportagem tentou buscar mais detalhes sobre as atividades, mas foi orientada a procurar a assessoria de comunicação Seed.

POSSÍVEL OCUPAÇÃO - A visita da FolhaWeb foi motivada após recebimento de denúncia sobre possível ocupação do prédio por imigrantes venezuelanos, assim como vem ocorrendo em outros prédios públicos.

“O ginásio Totozão foi invadido por venezuelanos, que arrombaram as salas do prédio para fazer morada, sendo que o mesmo está interditado por falha estrutural”, relatou o autor da denúncia que pediu para não ser identificado.

A reportagem questionou alguns dos trabalhadores que estavam no momento da visita, que desmentiram a informação.

O OUTRO LADO – A FolhaWeb entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação e Desportos (Seed) sobre a questão e aguarda resposta.

Fabricio Maia disse: Em 17/05/2018 às 23:34:51

"Se é uma reforma, o MTE deveria fiscalizar a obra, pois, sábado passado durante a remoção do piso tinha várias pessoas trabalhando de sandália havaiana e sem menhum EPI. A Madeira do piso foi embarcada em um caminhão azul."