HOMICÍDIO
Depois de se entregar, “Chupinha” esclarece mortes à Polícia
Por João Barros
Em 02/08/2017 às 00:53
'Chupinha' confessou os crimes e contou detalhes à Polícia (Foto: Divulgação/PM)

Depois de matar duas pessoas, inclusive o próprio irmão, e se entregar à Polícia de Alto Alegre, ‘Chupinha’, de 19 anos, confessou os crimes e deu todos os detalhes durante depoimento que prestou na manhã de ontem, 1o de agosto, ao delegado Uziel Castro, na Delegacia de Mucajaí, responsável por toda a investigação do caso. Uma vez que as mortes ocorreram na Vila de Sumaúma, que fica dentro dos limites territoriais de Mucajaí.

O delegado ressaltou que as investigações concluíram que 'Chupinha' não matou para roubar, portanto, trata-se de dois crimes de homicídio e não de um homicídio e um latrocínio, como se especulou. Wellington Almeida, o primeiro a ser assassinado, cobrava insistentemente o pagamento de uma dívida de R$ 500. “Passou um mês e ele não conseguiu pagar Wellington que ficava cobrando. Onde ele estava era cobrado. No dia do crime [terça-feira, 25 de julho], Chupinha estava bebendo num bar que fica na Vila Nova desde as 10 horas, quando chegou Wellington, pediu uma pinga e continuou as cobranças. Ele disse que não tinha dinheiro para pagar, que estava difícil a situação porque estava sem emprego, fazendo apenas diárias, momento em que foi ameaçado de morte”, contou Uziel.

Depois da ameaça, “Chupinha” saiu do bar, foi para a casa da mãe e contou o que aconteceu, quando viu Wellington passando em frente à casa dele, decidiu segui-lo em uma moto, armado com uma espingarda e uma faca. “Quando Wellington entrou na vicinal, viu que estava sendo seguido, parou a moto que pilotava e, no mesmo instante, recebeu o tiro, caiu e recebeu duas facadas no pescoço, desferidas por 'Chupinha'”, acrescentou o delegado.

Em seguida, o homicida voltou para a casa da mãe, relatou o fato, colocou algumas roupas na mochila, foi na casa do irmão para pegar a motocicleta, mas como o irmão não estava em casa, apesar de estar retornando naquele mesmo dia de uma região de garimpo, conversou com a cunhada que não quis dar a chave do veículo. O fugitivo fez ligação direta na moto e disse que precisava fugir porque tinha matado Wellington. Assustada com a afirmação, a cunhada não evitou que ele saísse na moto.

Alguns metros depois de sair na motocicleta, seguindo pela estrada vicinal, foi interceptado pela moto em que o irmão e um homem conhecido como 'Gordo' estavam. O irmão, Romário Correia Lima, já sabendo que ele tinha matado o desafeto, desceu da moto e caminhou em direção a ele para tomar a moto e pedir satisfação.

“O tal 'Gordo' e o irmão bloquearam a frente, ele se armou com a espingarda e na hora que o irmão desceu da garupa, caminhando em direção a ele acabou levando um tiro. Ele [Chupinha] pensava que era alguma vingança. Ele estava tão transtornado que não reconheceu o irmão.

Quando o irmão caiu, o 'Gordo' disse: 'Você matou seu irmão', momento em que 'Chupinha' começou a chorar, entrou em desespero. O'Gordo' tomou a espingarda da mão dele, daí o 'Gordo' foi procurar socorro e 'Chupinha' subiu na moto do irmão novamente e continuou a fuga”, esclareceu Castro.

Chegando à Vila Sumaúma, já estava sendo procurado pela Polícia Militar pela prática do primeiro homicídio. Ao avistarem o suspeito, os policiais tentaram prendê-lo, mas o suspeito conseguiu fugir até Vila Nova, aonde outra viatura da PM fazia ronda pelo local. Para não ser preso, ‘Chupinha’ abandonou a moto e entrou na mata.

“À noite ele comia na casa de um conhecido, mas quando foi segunda-feira, [31] ele foi para a casa da mãe, onde estava um amigo da família, e aconselhou que ele se entregasse. Ele concordou e, no carro do amigo, foi levado para Alto Alegre, onde foi recebido pelos militares na entrada do município”, explicou Uziel Castro.

No depoimento, ‘Chupinha’ disse estar arrependido dos crimes. A Delegacia de Mucajaí informou que todo o procedimento foi acompanhado de perto pela equipe desde que a morte foi informada ao delegado. “Na quarta-feira, ficamos o dia todo investigando o caso, indo atrás de testemunhas, fomos na casa da namorada, da cunhada e na quinta-feira, os agentes foram atrás da espingarda, que está em posse desse tal 'Gordo', já a faca está no barracão onde ele pegou a moto. Os agentes irão recolher as armas do crime nesta quarta-feira, 2”, salientou o delegado.

Castro afirmou ainda que a prisão de 'Chupinha' foi expedida com rapidez porque houve uma parceria com o Poder Judiciário, de modo que todos estiveram envolvidos na expedição do Mandado de Prisão. “Representei pela prisão na quarta-feira e, na quinta-feira, protocolei o pedido e tanto o promotor quanto o juiz e os conselheiros entenderam que havíamos juntado provas suficientes, por isso não posso deixar de citar a eficiência do Poder Judiciário, porque em média os pedidos de prisão demoram 10 dias para serem expedidos. Também quero citar a incessante participação da PM, porque os policiais já estavam no encalço dele. O próprio 'Chupinha' conta que via os PM's na mata”, finalizou.

O suspeito está preso na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), localizada na zona Rural de Boa Vista, onde ficará à disposição da Justiça. (J.B)

RIPA NA XULIPA disse: Em 02/08/2017 às 11:27:31

"coloca a cara desse bandido!"