REFORMA POLÍTICA
Deputados formam frente contra o 'distritão'
O deputado do PR Édio Lopes, foi escolhido como porta-voz e explicou as razões do grupo ser contra o distritão.
Por Folha Web
Em 09/08/2017 às 23:01

Deputados formaram nesta quarta-feira, 9, uma frente ampla contra a aprovação do chamado "distritão" na Câmara. Segundo os parlamentares, não há consenso em torno da ideia e o modelo vai acabar com a renovação política no Congresso.

O grupo é formado tanto por partidos da oposição, como o PT, PCdoB e PSOL, quanto da base, como PR, PRB e PHS. Deputados de legendas como o PSD, PDT e Rede também apoiam o movimento.

 Por esse modelo, são eleitos os candidatos mais votados. Pelo sistema atual, o proporcional, as vagas são distribuídas com base na votação total dos partidos ou coligações.

O tema está sendo discutido nesta quarta pelos deputados que fazem parte da comissão da reforma política na Câmara. O "distritão" não foi o modelo proposto pelo relator Vicente Cândido (PT-SP), mas será apresentado como alternativa em uma emenda pelo PMDB.

"O entendimento do PR é que o Distritão acaba por criar um sistema que torna a governabilidade do país muito pior. Hoje o presidente  negocia com 20 a 30 partidos e vai ter que negociar com cada um dos mais de 500 deputados que são donos do próprio mandato. ", disse o deputado do PR Édio Lopes. O deputado foi escolhido como porta-voz do grupo.

Segundo Aro, atualmente apenas quatro países no mundo adotam esse modelo, o mais famoso deles é a Jordânia. "Países como o Japão adotaram o 'distritão' e voltaram atrás porque foi a época de maior corrupção no País", disse.

Para ser aprovado na Câmara, o novo sistema eleitoral, por se tratar de uma alteração à Constituição, precisa do apoio de 308 dos 513 deputados.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!