BOA VISTA
Eletrobrás registrou 23 interrupções de energia em 2018
Em 2017, o total de apagões na Capital foi de 33 quedas de energia
Por Minervaldo Lopes
Em 12/07/2018 às 08:54
O presidente da Eletrobras Roraima, Anselmo Brasil, garante que Boa Vista tem como recompor dentro de poucos minutos o fornecimento de energia que vem da Venezuela (Foto: Nilzete Franco)

A quantidade de quedas de energia ocorridas nos últimos dias tem deixado a população receosa quanto ao fornecimento de energia na Capital, abastecida há quase 20 anos pelo linhão que vem de Guri, na Venezuela. 

Conforme registros da Eletrobrás, foram registrados em Boa Vista 23 desligamentos até o presente momento. Este número contrasta com as 33 interrupções registradas durante todo o ano de 2017.

O presidente da Eletrobras Roraima, Anselmo Brasil explicou que esses apagões ocorrem quando existe alguma parada do fornecimento na Venezuela, em razão de problemas diversos como tempestades, entre outros, mas garantiu que o sistema da empresa é capaz de repor o fornecimento interrompido em poucos minutos.

“Quando isso acontece na Venezuela nós entramos com a energia que temos aqui em Boa Vista e em até oito minutos recompomos as cargas principais. É até importante destacar que a nossa cidade é a única Capital do Brasil que tem energia suficiente para se manter em funcionamento. Evidentemente que esse custo operacional é maior do que a do país vizinho, mas a gente consegue manter a nossa geração sem problemas graves, diferente da situação de cidades como Rio de Janeiro, por exemplo, que precisa esperar resolver o problema onde ele ocorreu para ter energia de volta, o que pode levar horas para ser resolvido”, exemplificou Brasil.

Vladi disse: Em 14/07/2018 às 07:41:03

"Nem por isso a minha conta de luz baixou, pelo contrario!"

jales disse: Em 12/07/2018 às 10:40:05

"esse número aqui em casa aconteceu somente em uma semana!"

Fernando Bezerra disse: Em 12/07/2018 às 09:31:33

"Essa desculpa dele é tão esfarrapada que só dá para comparar com a cortina de fumaça que eles pretendem instalar no interior com as termoelétricas. O pretexto seria fornecer energia pelos próximos dez anos, queimando madeira e liberando dióxido de carbono na atmosfera, pelos próximos DEZ ANOS!"