MORTES DE GARIMPEIROS
Equipe será enviada para resgate de corpos
Gostei (0) Não gostei (0)
A equipe deverá ser composta por 13 pessoas e parte domingo, dia. A ação tem previsão de ser realizada em dois dias, devido a dificuldade de acesso do local.
Por Folha Web
Em 17/11/2016 às 16:48
Depois de se reunir com familiares das vítimas e representantes da Associação dos Garimpeiros, o chefe da Casa Militar, coronel Nelson Silva, iniciou a mobilização (Foto: Divulgação)

O Governo do Estado anunciou em coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira, dia 17, a formação de uma força tarefa com a PF (Polícia Federal), Funai (Fundação Nacional do Índio) e Sesai (Secretaria de Saúde Indígena), do Governo Federal, para o resgate dos corpos dos seis garimpeiros, que teriam sido assassinados na região do Uraricoera.


A equipe deverá ser composta por 13 pessoas, sendo sete da PF, três perítos da Sesp (Secretaria Estadual de Segurança Pública), um representante da Funai, outro da Sesai, e um da Associação dos Povos Yanomami de Roraima (Hwenama). Eles partem neste domingo, dia 20, de avião, rumo região de Surucucu, e de lá seguem de helicóptero, até o local do resgate. A previsão é que a ação dure cerca de dois dias, por se tratar de uma região de difícil acesso.


As mortes ocorreram nas proximidades da comunidade do Homoxi, na Terra Indígena Yanomami, no município de Alto Alegre, região a Centro-Oeste de Roraima, e foi confirmada esta semana pela Hwenama.


Conforme representantes da entidade, além das duas horas de deslocamento de avião de Boa Vista até a comunidade, para chegar até o local das mortes, que teriam ocorrido no início deste mês de novembro, são mais quatro horas de caminhada na mata.


Quem ficará à frente da mobilização da equipe de resgate é a Casa Militar, que desde a última quarta-feira, dia 16, tem organizado essa força tarefa, depois que o chefe do órgão, coronel Nelson Silva, se reuniu com os familiares das vítimas e representantes da Associação dos Garimpeiros de Roraima.


“Esse é um momento de comoção para essas famílias e a governadora Suely Campos se sensibilizou com essa situação, determinando que empenhemos todos os esforços para solucionar essa questão e amenizar o sofrimento destas pessoas”, comentou.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!