AÇÃO DO MPRR
Estado é condenado a construir nova sede do Instituto de Criminalística
Gostei (207) Não gostei (10)
O governo deverá ainda adquirir, em dois meses, quatro viaturas para atender a demanda de perícia em todo o Estado e realizar concurso público para peritos
Por Folha Web
Em 12/01/2018 às 09:00
A decisão ocorreu após intervenção do Ministério Público de Roraima (MPRR)

O Governo do Estado foi condenado pela Justiça a promover a construção de nova sede do Instituto de Criminalística e realizar concurso público para peritos, no prazo de 10 meses. A decisão ocorreu após intervenção do Ministério Público de Roraima (MPRR).

O governo deverá ainda adquirir, em dois meses, quatro viaturas para atender a demanda de perícia em todo o Estado. Outra obrigação é que todos os exames definitivos em substâncias entorpecentes sejam realizados aqui em Roraima, bem como seja montado laboratório específico junto ao Instituto de Criminalística, no prazo de quatro meses.

Conforme a sentença proferida no último dia 19/12 pelo juiz de Direito Substituto da 2ª Vara da Fazenda Pública, Esdras Silva Pinto, o descumprimento das obrigações acarretará ao Executivo multa diária, somada, no valor de R$ 21 mil.

 “Promover as melhorias requeridas pelo Ministério Público seria concretizar o dever público de conferir a efetividade da segurança pública”, relata trecho da sentença.

Ação do MPRR- Confirme o promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, Hevandro Cerutti, a sentença judicial é resultado de um pleito do Ministério público que já dura sete anos contra o estado.

 “Em razão das condições físicas precárias do Instituto, a falta de peritos, equipamentos e viaturas, o MPRR protocolou ação civil pública em 2011. Ainda no mesmo ano, uma decisão liminar obrigou o governo a promover as melhorias, porém não foram cumpridas”, lembra o promotor.

 

Consta na ação do MPRR que a ausência do funcionamento do Instituto de Criminalística gera dano social sem precedentes, tendo em vista que inviabiliza a realização das perícias forenses necessárias para apuração dos crimes praticados em todo o estado.

Mohammed Pataxó disse: Em 12/01/2018 às 13:11:00

"Esperamos que a SENTENÇA PROFERIDA seja cumprida na íntegra. Porque esse DESgoverno não tem gestor(a)."