EDUCAÇÃO
Estado oficializa implantação da Rede de Colégios Estaduais Militarizados
Gostei (6) Não gostei (1)
Confira quais são as escolas contempladas
Por Folha Web
Em 11/03/2018 às 15:00
(Foto: Secom-RR)

Por meio do Decreto nº 24.851-E, o Governo de Roraima criou a Rede de Colégios Estaduais Militarizados de Roraima. A ampliação do ensino militarizado será fortalecida com a implantação da Rede, composta por 18 colégios.

Publicado no dia 5 de março no DOE (Diário Oficial do Estado), o Decreto ratifica o ensino militarizado em unidades de Educação Básica, a maioria localizada na Capital e algumas do interior do Estado.

Fundamentado na política de militarização das escolas estaduais, implantada pelo Governo do Estado nos últimos dois anos, o Decreto prevê ainda a expansão da Rede e estabelece a inclusão, no Projeto Político-Pedagógico dos colégios militarizados, dos princípios da EBM (Educação Básica Militar) e a criação de um Comitê Técnico Interinstitucional, formado por membros da Seed (Secretaria Estadual de Educação e Desporto), da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, com função de caráter consultivo nos assuntos referentes à gestão administrativa, pedagógica e financeira dos colégios da Rede. 

Conforme o Decreto, a gestão administrativa das unidades escolares militarizadas será dos oficiais policiais ou bombeiros militares do Estado, da ativa ou da reserva remunerada, indicados para a função de diretor pelo comandante-geral da Polícia Militar ou pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros. Já a gestão pedagógica das será feita por gestores indicados pela da Seed.

Entre os critérios determinantes para criação de novos colégios militarizados estão: o bom desempenho verificado por meio dos resultados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em escolas que adotaram a Educação Básica Militar e a resolução de problemas de violência, registrados nas unidades escolares e na circunvizinhança, em áreas consideradas de vulnerabilidade social.

De acordo com o Decreto, compõem a Rede de Colégios Estaduais Militarizados: Os colégios Professora Elza Breves de Carvalho, Doutor Luiz Rittler Brito de Lucena, Irmã Maria Teresa Parodi, Professor Jaceguai Reis Cunha, Luiz Ribeiro de Lima, Professora Maria de Lourdes Neves, Professora Maria dos Prazeres Mota, Professora Maria Nilce Macedo Brandão, Pedro Elias Albuquerque Pereira, Professora Conceição da Costa e Silva, Professora Wanda David Aguiar, Maria Mariselma de Oliveira Cruz, João Rogélio Schuertz, Professora Antônia Tavares da Silva, Tenente João de Azevedo Cruz, Colégio Cícero Vieira Neto, Aldebaro José Alcântara, Desembargador Sadoc Pereira.

#secom-rr

(Foto: Divulgação)
Martins Silva disse: Em 13/03/2018 às 07:05:29

"Polícia entrando na ceara do professor, coisa que os técnicos administrativos em educação sempre almejaram. O próximo passo seria os profissionais de educação efetuarem investigações que culminariam nas respectivas prisões de infratores?! O SINTER não faz nada? Se fosse o contrário do avesso estaria normal?"

Aramis disse: Em 11/03/2018 às 16:49:16

"Derrota para os educadores do Estado!"