AVANÇOS
Ex-secretário César Penna faz análise de sua gestão na Sesau
Obras inauguradas, aumento de 70% nas cirurgias e investimentos no interior foram destacados pelo ex-secretário
Por Folha Web
Em 12/09/2017 às 00:35
César Penna retornará às suas atividades como médico efetivo do Estado (Foto: Arquivo/Folha)

Após um ano como adjunto e um ano e meio como titular da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o médico endocrinologista César Penna, que recentemente deixou o cargo, fez uma análise de sua gestão a frente da pasta, que será gerida interinamente pelo adjunto Paulo Linhares.

Em entrevista à Folha, Penna disse que deixou a Sesau com um saldo de seis obras inauguradas e um aumento geral de aproximadamente 70% no número de cirurgias. Ele explicou que a Saúde estadual vinha sofrendo um sucateamento durante os anos e foi encontrada afundada em dívidas.

“Mesmo diante deste cenário de grave crise financeira, conseguimos, em poucos meses, ver resultados positivos. Isso também se deve à governadora Suely Campos, que sempre acreditou no nosso trabalho e não poupou esforços para garantir uma saúde melhor para os próximos anos. A sensação é de dever cumprido”, analisou. Ao sair do cargo, Penna retornará às suas atividades como médico efetivo do Estado.

Segundo o ex-secretário, na avaliação de seu trabalho, a estrutura física foi o resultado mais visível destes investimentos. “Após um verdadeiro malabarismo com as contas da pasta, resgate de convênios parados há anos e apoio dos parlamentares por meio de emendas, foram inauguradas seis unidades de saúde novas”, disse, citando o Centro de Atenção Psicossocial (Caps3) para pacientes com transtornos mentais; a Unidade de Acolhimento, para tratamento prolongado a dependentes químicos; a Casa da Gestante, para apoio a mães que necessitam de uma permanência prolongada na maternidade; o Laboratório de Anatomocitopatologia de Roraima (Laper), que há décadas funcionava em locais improvisados; o Hospital de Caracaraí, inaugurado com 20 leitos; e, mais recentemente, o Centro de Referência da Saúde da Mulher. Segundo Penna, outras três grandes obras estão prestes a iniciar: em Caroebe e Santa Maria do Boiaçú, além do Centro Especializado de Reabilitação, em Boa Vista.

“Houve um aumento geral de 70% nas cirurgias, somando os procedimentos em todo o estado e mutirões como o realizado pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia. O HGR [Hospital Geral de Roraima Rubens de Sousa Bento] realizou neste ano quase 40% de cirurgias eletivas a mais do que o registrado há três anos, incluindo as de retina, que antes eram realizadas apenas por Tratamento Fora de Domicílio (TFD)”, explicou.

O ex-secretário lembrou que no Hospital de Rorainópolis eram realizadas apenas cirurgias gerais em 2014 e que, em sua gestão, foram implantadas dez especialidades e cirurgias ginecológicas, ortopédicas, urológicas, oftalmológicas e otorrinolaringológicas fazendo triplicar o número de procedimentos na unidade.

“Também citamos a Clínica Especializada Coronel Mota, que corria o risco de ser demolida, e foi revitalizada mantendo sua estrutura original. Espaços parados há 30 anos foram reativados, gerando mais 30 consultórios. Estas melhorias possibilitaram um crescimento de cerca de 30% nas consultas realizadas”, garantiu.

Cesar Penna também fez uma análise sobre a população do interior do estado, que não ficou desassistida em sua gestão. O médico citou que desde 2015 foram realizados mais de 100 mil atendimentos de saúde em todo o Estado, por meio de ações como a Caravana do Povo, Saúde nos Municípios e outros atendimentos itinerantes. Hoje as caravanas são realizadas semanalmente. “Hoje temos mais médicos, pois são disponibilizados dois profissionais em áreas como cardiologia, ginecologia e oftalmologia. Outro avanço importante foi a inclusão da Carreta Saúde da Mulher, com exames de ultrassonografia e mamografia, contribuindo significativamente para as ações de prevenção a doenças como o câncer”, citou.

MAIS SERVIDORES - A valorização do servidor foi outro ponto lembrado por Penna que disse que foram quase mil novos servidores nomeados para a saúde, atualização de enquadramentos e progressões. “Ampliamos a GAE [Gratificação de Assistência Específica] para os profissionais que atuam nos blocos e passaram a contar com um acréscimo de 12% nos salários. Incorporamos a GAM [Gratificação Permanente de Atividade Médica] aos salários dos médicos. Durante estes meses, o servidor entendeu que o nosso trabalho foi sério, colaborando para o bom andamento das nossas ações”, avaliou.

EQUILÍBRIO NO ORÇAMENTO - Penna ressaltou ainda como importante legado para a Saúde o aumento no orçamento da pasta. O governo de Roraima conseguiu aumentar de 12% para 18% o percentual mínimo das receitas do Estado a serem investidas na área. “Ao final de 2017, Roraima será um dos estados que mais investiu suas receitas em saúde, chegando a 18%, uma aplicação equiparada apenas ao Espírito Santo (18,12%), Tocantins (17,94%) e Amazonas (22,33%)”, exemplificou.

Ele explicou que a Saúde já vinha aplicando valores acima do piso de 12%, saindo de 12,23% investidos em 2014 para uma média de 15,48% este ano. “Mesmo com o nosso esforço em investir acima do piso previsto, com complementos constantes, ainda tem sido um desafio garantir que todos os compromissos sejam honrados. Este aumento foi uma vitória para a população roraimense”, comentou.

Em 2016, foram investidos 55% a mais que 2014, fazendo o Estado chegar a ser o segundo que mais investiu em saúde em todo o país. Esse número deve crescer ainda mais, graças ao aumento de R$ 1 milhão nos repasses para as ações de média e alta complexidade, pleito antigo da Saúde e que foi atendido neste ano.

REGULARIZAÇÃO DAS COMPRAS - Outro avanço importante citado pelo ex-secretário foi a adoção do sistema de banco de preços, ferramenta que permite à Sesau seguir preços praticados pela administração pública em todo o país em suas licitações. “Agora a Sesau não faz mais cotações com empresas locais. Todas as pesquisas são feitas comparando os valores praticados em todo o país e, com isso, a população pode ter a certeza de que nenhum dos nossos processos de compra foi superfaturado”, garantiu César Penna.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!