DIA DO ARTESÃO
ExpoArrte realiza programação especial
Neste domingo (19) haverá apresentações de capoeira, dança e música no Parque Anauá
Por Folha Web
Em 19/03/2017 às 17:00
Em 2016, a ExpoArrte movimentou R$ 127.891,00 em vendas (Foto: Vinícius Félix)

Um ano se passou desde que foi inaugurada a primeira feira permanente de artesanato de Roraima – a ExpoArrte.

Para comemorar a data, uma programação especial será realizada neste domingo (19), data em que também se comemora o Dia Mundial do Artesão, no Parque Anauá, a partir das 17h30.

Além da variedade de peças do artesanato roraimense produzidas pelos 40 artesãos que expõem seus trabalhos todos os domingos, haverá apresentações do grupo Casa da Capoeira, Grupo de Dança Chara, Palhaço Lulu e música, por conta do DJ Neudo Amorim.

Em 2016, a ExpoArrte movimentou R$ 127.891,00 em vendas. Nos meses de janeiro e fevereiro e nos dois primeiros finais de semana de março deste ano, já soma R$ 6.216,00 em produtos comercializados.

Para quem participa da feirinha desde o começo, como Joana Marta Chaves Pimentel e sua filha Roberta Chaves Pimentel, a feira é uma oportunidade de prosperar no artesanato.

PARTICIPAR DA EXPOARRTE – Hoje, 498 artesãos roraimenses estão cadastrados no Sicab (Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro), os quais, além da ExpoArrte, possuem outras ações com intuito de promover a capacitação e incremento da atividade como geração de renda.

Uma delas foi a sanção da Lei do Clube de Mães, por meio da qual tornou permanente o programa que incentiva a geração de renda e autonomia de mulheres em todo o Estado por meio de oficinas de artesanato.

Duas sedes já estão em funcionamento, Rorainópolis e Vila do Trairão, no Amajari, que já atenderam a 300 mulheres nas oficinas ao longo de 2016, e outras 19 já estão programas, sendo cinco na capital e 14 no interior do Estado.

Além disso, a equipe do PAR (Programa de Artesanato de Roraima) participa semanalmente das edições da Caravana do Povo oferecendo cursos variados de artesanato para as mulheres das vilas e comunidades onde as ações ocorrem.

Outra iniciativa é a Loja de Artesanato, que funciona na Setrabes e oferece a possibilidade de exposição e venda dos produtos trazidos pelos artesãos, cuja renda da comercialização é revertida totalmente para eles.

Com informações da Secom-RR

(Foto: Vinícius Félix)
(Foto: Vinícius Félix)
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!