ÁREA INDÍGENA
FUNAI garante continuidade de projetos em área indígena de RR
Parlamentar federal pediu apoio do órgão para andamento de projetos na área de eletrificação e bovinocultura
Por Folha Web
Em 18/05/2017 às 00:44
Deputado Edio Lopes foi recebido pelo presidente interino da Funai, general Franklimberg Freitas (Foto: Divulgação)

A eletrificação em áreas indígenas foi um dos temas da audiência entre o deputado federal Edio Lopes (PR/RR) e o presidente interino da Fundação Nacional do Índio (Funai), general Franklimberg Ribeiro de Freitas. O parlamentar foi em busca das autorizações da Funai para a implantação de ações de projetos de energia elétrica e bovinocultura em áreas indígenas no estado de Roraima.

Hoje somente em questões relacionadas à Eletrificação Rural em áreas indígenas de Normandia e Uiramutã, o parlamentar tem projetos na ordem de R$ 6 milhões que não têm prosseguimento por conta da falta de licenciamento expedido pela Funai. Em relação a bovinocultura, o parlamentar busca a liberação da licença para um projeto orçado em R$ 3 milhões, que beneficiará 52 comunidades, e já está em fase final de aprovação na Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM). “Falta apenas a Funai liberar a licença para que se possa comprar o gado e entregar a indígenas. Dependemos dessa autorização”, disse Edio.

Segundo o parlamentar, o encontro foi proveitoso e vai viabilizar a liberação de mais de projetos que estariam parados por conta da morosidade da Fundação. “O presidente, que se mostrou atencioso, deu total prioridade aos nossos projetos e colocou, tanto a Coordenação Regional da Funai em Roraima, como a área técnica em Brasília, à disposição para solucionar as pendências e viabilizar o quanto antes as autorizações, possibilitando o andamento dos processos. Ele nos assegurou que os gargalos de dentro da Funai não mais existirão daqui para a frente”, afirmou.

O deputado lembrou que muitas vezes ficou meses com projetos parados aguardando a liberação e licença da Funai. “Sem o OK da Funai não temos como recorrer aoInstituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) em busca da autorização ambiental e, por conseguinte, os ministérios não liberam os recursos. Perdemos inúmeros projetos dentro das comunidades indígenas nos últimos anos por conta desses entraves”, assegurou.

Edio Lopes elogiou a nomeação do General Franklimberg Freitas para a presidência da Funai, por conta de seu profundo conhecimento sobre a situação da Amazônia. O general já esteve a frente da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, em Roraima. “Ele tem vivência da região, principalmente pelo tempo que esteve em Roraima, como Comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva. Saí animado com a conversa que tive com ele. Animado porque ele se mostrou uma pessoa de bom senso, absolutamente sintonizado com as questões amazônicas gerais e de outro lado com as questões indígenas”, garantiu.

Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!