FRONTEIRA
Fronteira entre Brasil e Venezuela é reaberta
Por Folha Web
Em 07/01/2017 às 00:49
Momento em que autoridades venezuelanas autorizam reabertura da fronteira (Foto: Divulgação)

A fronteira entre Brasil e Venezuela foi reaberta na tarde dessa sexta-feira (06). A passagem estava fechada por determinação do presidente Nicolás Maduro desde 13 de dezembro. Os setores de importação e exportação já estavam reativados e o posto de combustível internacional de Santa Elena de Uairén já havia voltado ao funcionamento desde terça-feira. A fronteira, que fica na cidade de Pacaraima, região Norte de Roraima e a 250 quilômetros da Capital, Boa Vista, é o único ponto que liga o Brasil à Venezuela.

Segundo Fátima Araújo, secretária adjunta de Relações Internacionais do Governo de Roraima, o contato mantido com as autoridades venezuelanas auxiliou para que a fronteira seja reaberta para a passagem dos veículos.

“A partir deste sábado, funcionários da aduana estarão atendendo turistas que quiserem adentrar ao país”, relatou.

A reabertura contou com a presença do prefeito de Santa Elena de Uairén, Manoel de Jesus Valle, e autoridades militares representantes da Aduana fizeram a abertura oficial da Fronteira. Segundo o decreto, o fechamento, inicialmente previsto para durar 72 horas, foi necessário para combater o contrabando de cédulas nacionais por máfias dos dois países. Desde então, o trânsito estava livre apenas para pedestres e veículos que transportam alimentos.

Alguns brasileiros, turistas ou trabalhadores, que estavam com seus veículos na Venezuela enfrentaram problemas para voltar ao Brasil. “Mais de 200 brasileiros receberam algum tipo de assistência da secretaria para conseguir entrar na Venezuela ou voltar para o Brasil. A maioria deles era de Manaus e de outros estados, que precisava passar com seus carros”, explicou Fátima.

Durante o período de fechamento, para trazer os veículos de volta, os brasileiros tiveram que solicitar autorização junto ao Comando do Exército – Fuerte Roraima.

Com a reabertura, a movimentação de pessoas, veículos e mercadorias foi normalizada. Mas durante pouco mais de 20 dias, turismo e comércio entre os dois países foram diretamente afetados. “Em meio à crise econômica enfrentada pela Venezuela, Pacaraima se tornou a alternativa mais viável aos venezuelanos para comprar alimentos e itens de primeira necessidade. Com o fechamento, tanto os consumidores, quanto os comerciantes foram prejudicados”, destacou Verônica Caro.

Isso sem contar o turismo entre os dois países. Muitos brasileiros que estavam na Venezuela e foram pegos de surpresa com o fechamento da fronteira, tiveram dificuldades para deixar o país. O governo de Roraima, por meio da Secretaria de Relações Internacionais, articulou para que a fronteira fosse reaberta durante um período pré-estabelecido e dessa forma, todos conseguiram voltar ao Brasil.

Agora, Verônica Caro diz que o momento é de trabalhar para incrementar o comércio e o turismo entre os dois países, assim como era antes do fechamento da fronteira, algo que jamais havia acontecido por tanto tempo. “Vamos trabalhar para ações de fortalecimento do turismo e das relações comerciais entre os dois países. A crise venezuelana fez com eles passassem a nos ver como um importante parceiro comercial. Muitos produtos que antes eram importados pela Venezuela junto aos Estados Unidos, agora têm como origem o Brasil e Roraima. A ideia é que possamos desenvolver ainda mais isso”, enfatizou.

Comentários
caveira disse: Em 07/01/2017 às 16:01:46

"pelo amor de deus larga esse paiz de merda"