AGULHA OFICIAL
Gado de comunidades indígenas é vacinado contra febre aftosa
Por Folha Web
Em 07/12/2017 às 01:15
Os técnicos vacinaram aproximadamente 50 mil cabeças de gado (Foto: Willian Roth)

O Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Roraima (Aderr), está finalizando o trabalho de imunização contra a febre aftosa de bovinos em comunidades indígenas localizadas nos municípios de Pacaraima, Normandia e Uiramutã, que formam a fronteira com a Venezuela e a Guiana, na terra indígena Raposa/Serra do Sol.

Nesta 34ª etapa, a campanha de vacinação teve duração de 30 dias e quase oito mil propriedades foram visitadas e 99,14% do rebanho vacinado, totalizando 780.645 cabeças. As vacinas foram doadas pelo Governo do Estado, que disponibilizou 54 mil doses para a imunização do rebanho nas áreas atendidas pela ação.

Em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), 15 técnicos vacinaram aproximadamente 50 mil cabeças de gado nas comunidades Campo Formoso, Serra do Sol, Mato Grosso, Piolho, Pedra Preta, Caraparu e Centro Nutrir, restando poucas comunidades que só possuem acesso aéreo.

De acordo com o diretor presidente da Aderr, Gelb Platão, esse é um trabalho importante para que Roraima continue avançando. “Essa campanha superou nossas expectativas. Atingimos quase 100% de cobertura em todos os municípios, mas o produtor precisa continuar vacinando, pois estamos às vésperas de alcançar o pleito da Organização Mundial de Saúde Animal para que tenhamos reconhecimento internacional como Área Livre de Aftosa com Vacinação, podendo então exportar para outros Países”, citou.

Além da vacinação os técnicos fazem, durante as visitas nas comunidades, o trabalho de investigação ativa, prestam orientações técnicas sobre sanidade animal e manejo de pastagem para os criadores. Em todo o Estado, a Aderr realizou 213 vacinações assistidas, que é quando o técnico veterinário vai até a propriedade acompanhar a aplicação das vacinas pelos criadores.

Para o secretário do Índio, Dilson Ingarikó, essa é uma ação que beneficia tanto as comunidades indígenas como o Estado em geral. “A pecuária é muito forte nas comunidades indígenas de Roraima, mas muitas vezes os produtores desconhecem a importância da vacinação do gado. E como isso protege o rebanho, a ida dos técnicos esclarece algumas questões, vacinam o rebanho e assim todos saem ganhando”, complementou.

ANÚNCIO – Durante a cerimônia que declarou o Estado do Amazonas como zona livre da febre aftosa com vacinação, em Manaus, na segunda-feira, 4, o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, declarou que até 2023 o Brasil será livre de febre aftosa sem vacinação e que Amazonas, Acre, Rondônia, Amapá, Roraima e Pará serão os primeiros estados brasileiros que serão liberados para exportação de carne para qualquer parte do mundo, com o status de Livre de Aftosa sem vacinação. O rebanho da região Norte atualmente soma 48 milhões e 240 mil cabeças, entre bovinos e bubalinos.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!