NO PREJUÍZO
Governo já pagou R$ 750 mi da dívida contraída na gestão passada
A verba seria suficiente para a construção de 432 escolas com 240 alunos ou 25 unidades do Hospital das Clínicas, com 120 leitos cada
Por Folha Web
Em 11/07/2018 às 02:00
Segundo Marcelo Lopes, todos os meses, desde janeiro de 2015, cerca de R$ 22 milhões das contas do Estado vão para o pagamento dos débitos (Foto: Arquivo/Folha)

Já soma R$ 750 milhões a quantia que o Governo do Estado pagou, desde janeiro de 2015, de dívidas contraídas na gestão anterior. Todos os meses, cerca de R$ 22 milhões são descontados automaticamente das contas do Estado para o pagamento dos débitos. O maior deles é referente ao empréstimo contraído para o nunca ocorrido saneamento da Companhia Energética de Roraima (Cerr). 

O restante é referente a dívidas junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do Banco do Brasil e da Caixa

Econômica Federal, além da Previdência Social, também contraídas em um período anterior a 2015 e que somavam quase R$ 2 bilhões.

O titular da Secretaria estadual da Fazenda (Sefaz), Leocádio Vasconcelos, ressaltou que os débitos comprometem seriamente o orçamento do Estado, que poderia utilizar estes recursos para investimento e custeio, como a recuperação de estradas e vicinais e construção de escolas e hospitais.

Vasconcelos explicou que os R$ 750 milhões já pagos são referentes a juros e amortização, além do valor principal de alguns contratos, que já começou a ser cobrado. “Trata-se de um endividamento feito por 20 anos que vai prejudicar a população ainda por muitos anos, pois ficará privada de investimentos”, ressaltou.

O secretário de Relações Institucionais do Governo do Estado, Marcelo Lopes, fez um comparativo com o que poderia ter sido feito com esses recursos. “Arredondando a quantia para R$ 800 milhões, marca que iremos alcançar nos próximos dois meses, somente na saúde seria possível construir 25 hospitais no padrão do Hospital das Clínicas, com 120 leitos”, explicou. 

Caso fosse utilizada na educação, a verba seria suficiente para a construção de 432 escolas com capacidade para 240 alunos. Se investido em terraplenagem de estradas e vicinais de até 10 quilômetros de extensão, seria possível atender 1.333 localidades. Se destinado a asfaltamento, seriam mais de 666 quilômetros pavimentados. Ainda na infraestrutura, a verba também seria suficiente para a construção de 8 mil pontes de 10 metros cada uma.

“Esse empréstimo será descontado pelos próximos 20 anos. As pessoas precisam entender o quanto isso compromete as suas vidas. O Governo tem que honrar com esse compromisso ao invés de estar investindo esse recurso na vida do cidadão roraimense, diminuindo a desigualdade social provocada pela imigração, melhorando a infraestrutura do Hospital Geral de Roraima, dando condições de ampliar as escolas militarizadas, fazer com que o sistema prisional seja mais eficiente, que a segurança possa ser ampliada. Enfim, está se trocando política pública social que impacta na vida da pessoa para o serviço da dívida, para o pagamento de empréstimos que até hoje a população não conseguiu visualizar o benefício para a sociedade”, lamentou Lopes.

Ele relembrou que o caso mais emblemático desse endividamento que foi o caso da Cerr. “O governo anterior tomou R$ 600 milhões para sanear a Cerr para que a empresa pudesse ser federalizada. O saneamento não aconteceu e, pior, o Governo Federal, que administrava a Companhia à época por meio de gestão compartilhada com a Eletrobras, extinguiu a concessão da Cerr, e até hoje não efetuou o pagamento da indenização pelo patrimônio da Cerr, no valor de R$ 297 milhões, conforme avaliação da Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica]. E hoje, o Governo continua arcando com a folha de pagamento dos servidores, sem ter nenhuma fonte de arrecadação, com o agravante de que muitas obras que também deveriam ter sido feitas com esse empréstimo, não tiveram sua execução comprovada, apesar do pagamento antecipado”, disse.

Esse empréstimo foi auditado pelo Governo e o relatório final apontou uma série de irregularidades que causaram prejuízos aos cofres públicos. Esse documento foi enviado aos órgãos de controle para punição dos responsáveis, mas até agora nenhuma medida foi adotada.

Rildo Lopes disse: Em 11/07/2018 às 09:48:42

"Infelizmente o Anchieta irá ganhar...e a desculpa dele será a mesma....igual a todos que se prestam a encarar o governo...sempre vão por a culpa no governo anterior....Acho muito engraçado é a briga para assumir...aí depois que assumem vem com a fala de que não há dinheiro...Nem um louco vai querer assumir um bem falido...Mas na politica...sempre é possivel mamar até onde não sai leite."

emerson caldas disse: Em 11/07/2018 às 08:49:10

"Se essa governadora exonerasse osparentes dela do governo daria pra construir um novo estado, essa desculpa de que não fez nada não cola mais"

souza disse: Em 11/07/2018 às 08:37:31

"Agora a desculpa é culpa o Governo anterior se sabia que estava problema então porque se propôs a assumir esse cargo agora é muito fácil culpar o passado."

Aguia disse: Em 11/07/2018 às 07:44:39

"Muito fácil criticar quando se está de fora, vá lá Aramis se candidate ao governo, ganhe e resolva o problema. Essa situação desastrosa deixado pelo governo anterior lascou o Estado pelos próximos 15 anos. Se ela não voltar, o próximo governo tbm vai se ferrar. E se for o Anchieta, vai provar do próprio veneno. "

Aramis disse: Em 11/07/2018 às 08:17:14

"Independente de quem for o Governo, se planeje. Agora durante 3 anos e 7 meses a mesma desculpa. Não se planejou?! Faltou competência? Quantos secretários do governo anterior estão fazendo parte deste governo?"

Cardoso disse: Em 11/07/2018 às 08:28:03

"Aguia....pra serve CODESAIMA? IACT? SEAMPU? Pra que grupo Gestor, veja quanto poderíamos economizar com recursos, carros alugados... Você ja foi numa Caravana do Povo, viu a quantidade de carros do governo que vai, ai são gastos combustíveis e em alguns casos diárias... Precisamos de Gestão, e não de gastança ... No começo desse Governo, era pra se fazer o básico, colocar a casa em ordem, pagar as inadimplências, negociar com o Governo Federal, mostrar transparência...Pergunto fizemos isso????? Fomos brigar com o Governo Federal.....perdemos"

Aramis disse: Em 11/07/2018 às 06:56:32

"Tá na hora do governo encontrar outra desculpa. Fazem 3 anos e 7 meses que é a mesma desculpa. Não conseguiram ainda se planejar? Corte gastos! Deixe de alugar carros! Deixe de fazer festa! Se não tem dinheiro como aumentou o crédito social? Campanha? Diárioa semana mostra excesso de arrecadação! Pra quê tanto parasita na folha?"

Moacir da Silva disse: Em 11/07/2018 às 06:07:00

"E agora, em campanha eleitoral os responsáveis se colocam como solução para o problema que eles mesmos criaram. A governadora tem suas deficiências, mas administrar essa herança maldita deixada pelo Anchieta não seria fácil pra ninguém. "