EDUCAÇÃO
Governo retira EJA de Escola Militar e professores fazem abaixo assinado
Atitude provocou revolta nos professores que receberam aviso dos seus memorandos via watsapp
Por Michel Sales
Em 14/03/2017 às 21:20
(Foto: Pesquisa por imagem)

Na Escola Estadual Elza Breves, funcionando atualmente com Ensino Básico Militar, a direção emitiu um memorando aos professores, que ensinavam Jovens e Adultos na Unidade (EJA), informando que não mais haverá aulas no turno da noite.

Revoltados, os professores fizeram um abaixo-assinado com quase mil assinaturas pedindo para que o EJA continue na Unidade de Ensino.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação e Desporto (Seed) informou, "A reforma do Ensino Médio e adesão ao Ensino Básico Militar, está sendo feito um redimensionamento da rede estadual de ensino que consiste na redistribuição de professores e modalidades de ensino por escola".

A Seed ainda destacou, “No caso da Escola Militar Professora Elza Breves, serão concluídas apenas as turmas da Educação de Jovens a Adultos (EJA) vigentes e não serão abertas novas turmas da modalidade, porém, os alunos serão remanejados para escolas do bairro que ofertam a EJA”.

Quanto aos professores a Seed esclareceu, “Será feita a lotação de acordo com a necessidade das unidades de ensino que têm EJA”, finalizou a nota.

Comentários
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!