DOENÇAS DO INVERNO
Hidratação nasal pode ajudar a diminuir os sintomas da sinusite
Gostei (0) Não gostei (0)
As causas mais comuns de infecções sinusais incluem infecções respiratórias, alergias, pólipos nasais e baixa imunidade
Por Raisa Carvalho
Em 09/05/2018 às 07:34
O otorrinolaringologista Ivan Machado explica os sintomas da doença (Fotos: Arquivo pessoal)

Higiene nasal e uma hidratação adequada são dicas importantes para quem quer diminuir os sintomas da Rinossinusite, mais conhecido como “sinusite”. De acordo com o otorrinolaringologista, Ivan Machado, lavagem nasal com soro fisiológico, umidificação do ambiente são formas de evitar crises.

“É preciso identificar quais são os agentes que causem alergia e evitar exposição a eles. O uso de antibióticos deve ser prescrito pelo médico em casos de causa bacteriana. O tratamento cirúrgico está indicado em casos crônicos e com alterações anatômicas que estão relacionadas com a rinossinusite e devem ser indicados pelo Otorrinolaringologista”, explica o médico.

Segundo o médico, as crises ocorrem geralmente após infecção das vias aéreas superiores em 80% dos casos ou após quadro alérgico. “Crianças têm seis a oito episódios da doença ao ano e dessas, 5% a 13% evoluem para rinossinusite bacteriana”, conta.

Outros fatores que podem ocasionar sinusite são desvio de septo nasal e tumor nasal. Além do uso crônico de descongestionantes nasais. “Esses remédios podem agredir a função dos cílios que possuímos na mucosa nasal, estes são importantes na umidificação e limpeza do ar que inspiramos e protegem o organismo. Outras condições sistêmicas também podem estar relacionadas com a sinusite, principalmente as crônicas, como diabetes, imunodeficiência, desnutrição e etc.”, completa o médico.

Sintomas

Algumas pessoas sofrem de sinusite durante semanas, meses ou inclusive anos, principalmente quando não tratam e não dão a devida atenção ao problema. “Entre os sintomas, estão dor que pode ser nasal, facial ou pode manifestar-se como cefaleia, secreção nasal amarelada ou esverdeada, obstrução nasal, halitose, tosse que piora ao deitar e febre. O diagnóstico é clínico, podendo em alguns casos necessitar de exames complementares como videoendoscopia nasal e tomografia”, finaliza o especialista.

CarlaBrígido disse: Em 09/05/2018 às 16:58:00

"excelente profissional!! obrigada por todo o acompanhamento dado ao meu Filho!"