AÇÃO FRUSTRADA
Homem é preso com drogas e celulares que seriam levados para a Penitenciária
Drogas e celulares apreendidos seriam lançados para dentro da Pamc, inclusive estavam marcados com os codinomes dos destinatários
Por João Barros
Em 13/09/2017 às 00:50
Um revólver e meio quilo de maconha foram apreendidos com suspeito (Foto:Divulgação/PM)

No começo da noite de segunda-feira, 11, homens que integram o 1º e 2º Batalhão da Polícia Militar de Roraima (BPM) frustraram a ação de integrantes de facção criminosa que embalavam grande quantidade de drogas e celulares para serem levados para a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc). A guarnição chegou ao endereço depois de receber uma ligação anônima, informando que os bandidos estavam reunidos numa residência da Rua J-05, bairro Cidade Satélite, zona oeste da Capital.

Os policiais também foram informados de que no local havia quatro indivíduos e que três deles tinham acabado de chegar à residência com uma central de ar-condicionado. Para não espantar os criminosos, os policiais entraram pelo terreno e fizeram a abordagem, no entanto, somente um deles estava dentro da casa.

Quando percebeu a presença dos militares, o delinquente tentou se desfazer da droga e de parte dos produtos ilícitos que carregava. Os policiais deram ordens para que o suspeito mantivesse as mãos levantadas e não reagisse à prisão, mas ele desobedeceu às ordens e teve que ser contido à força.

Durante as buscas na residência foram encontrados invólucros com substância entorpecente, sendo uma sacola com aproximadamente 500g de maconha, dois invólucros contendo pasta base de cocaína, um invólucro contendo cocaína, uma balança de precisão da marca Diamond, um revólver calibre 38, com numeração que será investigada a fim de descobrir quem tem a propriedade legal, duas munições intactas, uma caixa de som amplificada e muitos celulares, alguns deles embalados e envolvidos em esponjas com codinomes de detentos da Pamc.

Os telefones seriam direcionados para homens identificados com as palavras “Motoqueiro”, “Rei do Crime”, “Velhote”, “Problemático”, “Yaya”, “Adilon”, além de alguns aparelhos que ainda estavam fora da embalagem. A Polícia acredita que os nomes sejam códigos usados pela organização criminosa para mascarar a verdadeira identificação dos detentos, que inclusive essas denominações não fazem referência ao nome de batismo que os elementos têm na facção.

Carregadores de celular, fones de ouvido, cabos USB, um tablet, 15 pacotes de tabaco extraforte, relógio da marca Invicta, a central de ar-condicionado e diversos pedaços de esponja também foram apreendidos. A Polícia Militar suspeita que todos os produtos sejam fruto de assaltos praticados em Boa Vista.

Diante do flagrante delito, o homem foi conduzido ao Plantão Central do 5º DP para que as devidas providências fossem adotadas pela autoridade policial. O Relatório de Ocorrência Policial (ROP) entregue na Delegacia pela guarnição aponta que o suspeito é integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC).

A intenção dos bandidos, segundo a PM, seria lançar os materiais apreendidos por cima dos muros da Pamc. Todo o material será periciado pelo Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

Depois de ouvido pela delegada de plantão, o indivíduo foi autuado em flagrante e ficou detido numa das celas da unidade até a manhã de ontem, dia 12, quando foi levado para audiência de custódia com a Justiça.

N.R.: A reportagem da Folha resguardou o nome do suspeito respeitando o artigo 5º da Constituição Federal, que preceitua que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”. O artigo prevê que são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito à indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!